Recados e Novidades

Meu facebook:
http://www.facebook.com/?ref=tn_tnmn

Para troca de livros:

Projeto Palavras Cruzadas:

"Já é vender a alma não saber contentá-la." Albert Camus - O Mito de Sísifo.

O projeto 'Palavras Cruzadas' promove encontros mensais (segundo sábado de cada mês) em que são lidos e discutidos trechos de obras importantes da literatura e filosofia surgidas à partir do século XX.

No encontro do dia 13/07 o livro utilizado será 'O Mito de Sísifo' de Albert Camus.

O evento começa às 15h30min.

A coordenação é de Vanessa Molnar, historiadora (USP) e escritora e Fábio Donaire, estudante do Bacharelado em Ciências e Humanidades (UFABC). Estamos localizados na Rua Professor José Franco, 166 – Bangu (a 10min da UFABC de Santo André, na rua do restaurante Frangasso).

A entrada é franca.


segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

As 100 coisas que quero fazer antes de morrer

Bom caros leitores, o fim do ano vem chegando e quase consegui manter o blog ativo, tirando estes últimos dois que o desanimo tomou conta de mim, cheguei perto de alcançar o meu objetivo.


Por que escrevo isto?

Muito simples, ano novo, promessas novos (ou antigas????), eu fiz um exercício que eu gostaria de compartilhar com vocês.

Escreva 100 coisas que você gostaria de fazer ou ter antes de morrer, podem ser coisas materiais, viagens, espirituais, familiares e etc.

Eu fiz e cheguei só a 54, mas de repente percebi: Quantas coisas mal resolvidas eu tenho na minha vida! Então esta lista vale para nos lembrar o que realmente importa e é valioso, ou seja, a nossa vida.

Feliz 2012!



segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

O Bufão e o Violino


Numa época em que a vida tinha pouco valor, onde reis coroados pelo Divino viviam a guerrear em nome do Santo Deus, alguns homens utópicos imaginaram um mundo, onde a razão, o cavalerismo e a civilidade seriam marcas de um novo éon.

Naqueles tempos as coisas mudavam drasticamente, fosse pela guerra ou fosse pela doença, mas um velho bufão tocava seu violino de aldeia em aldeia, trazendo raros sorrisos para aquelas pessoas tão sofridas.

Pensem nisso: Qualquer palavra colocada errada, poderia significar ser queimado numa fogueira, mas o velho bufão não tinha medo de nada, afinal ninguém o levava a serio e seguia tocando suas trovas falando de Cristo, cavaleiros, donzelas, dos infiéis muçulmanos, dragões e santos.

Curiosamente, o bufão, dizia que Santo André devia ser uma pessoa anormal, pois possuía cinco cabeças e dezoitos pés, pois cada um desses membros se encontravam nas igrejas das cidades do leste, conquistadas recentemente pelos otomanos.

Mas o bufão também tinha sentimentos, amores perdidos na dolorosa estrada da vida e o violino chorava as magoas da donzela que a peste havia levado, nunca mais amou e andava errante naquele mundo estranho.

O violino lhe sussurrava nos ouvidos:

-Por que estamos numa guerra que não é nossa?

- O Senhor Leonardo Da Vince sabe dessas coisas. – Respondeu o receado bufão. – Encontrei-o em Florença, ele inventa umas coisas esquisitas, você sabe... - Sabe uma coisa que ninguém nos tira? – O Nosso conhecimento.

-Mas ter conhecimento, não é perigoso? – Num tom maior perguntou o violino.

-Sim... Mas para nós não há perigo, afinal somos os loucos da rua, ninguém nos leva a serio. Vou te contar um segredo. – Suspirou o bufão. - Um dia chegaremos a lua.

- Que bobagem. – Desafinou o violino.

- Quem viver verá, mas por ora vamos seguir por esta estrada e que ela nos leve aonde Deus quiser.

- E o Senhor Leonardo Da Vince? Não vamos visitá-lo? - Perguntou harmoniosamente o violino.

- Outro dia nós o visitaremos e perguntaremos sobre estes negócios de guerras e pestes, mas não hoje...

E ambos partiram pela vereda ladeada pelas arvores do bosque, tendo como guia o pôr do Sol medieval, sem destino, sem rumo, sem direção e sem ninguém esperando, apenas a solidão e a tristeza de saber que o mundo é assim, mas, apesar de tudo, ainda ter esperança que o dia de amanhã será melhor do que hoje e entender que sorrir é o melhor remédio.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

O Silêncio de Deus

Acredito que desde muito jovem procuro a Deus, sempre me senti uma pessoa no lugar errado, no tempo errado.

Eu fiz algumas investidas na religião budista, católica, protestante, rosa cruz e até na umbanda, mas sempre faltou algo, seja por não preenchimento do espírito, charlatanismo ou qualquer outra coisa que não se encaixava.

Foi muito maléfico ficar ente estas transições e dia-a-dia ficar parecido com este mundo que nos molda a sua feição, talvez não basta só um desejo, mas também não sei o que realmente é preciso pra ter este encontro.

Deus permanece no seu silencio, obvio que em alguns momentos deu-se a impressão de sua mão em minha vida, mas no geral, parece que rumo num mundo que vai ao acaso, sem controle do futuro, dos sentimentos e sem nada.

Dizem que quando Deus está em silencio é porque está trabalhando, ou quando não nos concede tal coisa é porque somos mal.

Quem será justo diante de Deus?

Neste momento o meu coração (Espírito Santo) diz:

Ele está testando a sua paciência, procure fazer o bem e se consertar a cada dia buscando a sabedoria, lembrando que o principio da sabedoria é o temor de Deus, se Ele está em silencio continue a orar, continue a louvar, porque quando você perceber Ele já mudou a sua vida, sem alardes, sem trombetas.

Lembra do Salmo que você baseou sua fé para ter sua esposa? Confia no Senhor e ele concederá o desejo do seu coração. Qual o desejo do seu coração?

Permaneça na busca que você começou na sua mocidade e quando você menos perceber já estará nos braços Dele, é necessário uma preparação.

Moises chegou até a terra prometida, mas não pode entrar, por causa do temperamento, mas conseguiu uma benção que nenhum outro homem teve; de poder conversar face a face com Deus.

Então se prepare porque a benção será avassaladora, busque suas orações, ajude os que precisem, leia a bíblia, procure boas pregações, mesmo que neste momento você não tenha casa, Jesus também não tinha casa, mas nunca lhe faltou nada.

Eu lamento ser ignorante com as coisas, ainda mais misteriosas, problemas no casamento, na casa, no trabalho com minha filha, deixam a gente num estado de desespero, porém vou seguir a orientação do Espírito Santo, pois isto tem acalentado minha alma tão cheia de tristezas.

terça-feira, 11 de outubro de 2011

O Terror Rithiano

           O Terror Rithiano é uma novela, interessante, apesar de o tema ser um pouco batido.
          
            Trata-se de uma época futuro, onde a Terra é um império com 260 mundos e agora é ameaçada por uma raça transmorfa, entretanto de tecnologia inferior. 

Mas o que mais chama atenção não é o disfarce de nosso alienígena, e sim o disfarce do racismo e da indiferença com outras coisas que não podemos compreender por muitas vezes ser simples. 

A obra foi escrita em 1965, por se tratar de uma novela, a ação e a aventura acontecem num ritmo alucinante. (Sem as tais digressões que existem na maioria dos livros de hoje).

           Leitura recomendada.

sábado, 24 de setembro de 2011

The Adventures of Robert Savage


                Pessoalmente gosto muito de rock, blues e jazz e achava que conhecia muita coisa, até que um belo dia, eu visitei um blog americano com o sugestivo nome de “Psicodelich 67”, era um destes lugares em que você baixa mp3, a diferença deste é que só tem coisas entre 1964-1974.
                Entre um download e outro encontrei este disco de 1971 de uma banda chamada “The Adventures of Robert Savage” (Robert Savage foi um antigo presidente americano), não tenho muitas informações da banda, alias nem no Wikipédia, e nem no sitio que disponibilizou existem informações da banda.
              É um puro hard-blues-rock, com muitos fuzzes de guitarras, antigamente se fazia musicas para um álbum, hoje se faz para um hit.

Pra quem é amante da arte roqueira tem o link abaixo para fazer o download, recomendadissimo.

 http://www.mediafire.com/?yliimmemzzm

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Fundação

Eu já tinha lido alguns livros do Asimov (Na verdade é meu escritor nº 1), porém nunca havia lido a Fundação ganhadora dos prêmios Hugo e Nebula (Maiores condecorações na ficção cientifica) e li a trilogia numa paulada só, originalmente os livros são:
Fundação
Fundação e Império
Segunda Fundação
Estamos num futuro longínquo, onde a humanidade colonizou toda a galáxia e todo governo é centralizado no Império Galatico, entretanto, um psicohistoriador (Que faz uma mistura de matemática com psicologia), desnuda o futuro da humanidade através de formas matemáticas através do comportamento  humano.
E Heldon Seldon prevê o fim do Imperio Galatico e a humanidade atravessara 30.000 anos de barbárie até se fundar o 2º império, mas com o conhecimento da psicohistoria este tempo poderá ser reduzido em 1000 anos.
Para isto ele funda duas “Fundações” nos extremos da galáxia, compostas de cientistas que tem por objetivo encurtar o período de barbárie.
Então com este enredo a historia se passa e neste período muitas tramas ocorrem e por vários momentos “A Fundação” passa por momentos críticos, conhecidas como crise Seldon.
É importante salientar que durante estas tramas, Asimov, utilizasse de conceitos cientificos, tais como  física, matemática, estatística, robótica, historia e psicologia, mas o mais importante e que tudo tem uma lógica e emoção.
E o tipo de livro que você vai sempre avançando para saber o que vai acontecer.
Para meu desgosto terminei a literatura, mas existem outros 4 livros que dão continuidade a trama, além de vários contos tie-in.
Leitura Excelente pra lá de recomendada.

sábado, 17 de setembro de 2011

Edgar Allan Poe



Edgar Allan Poe é um escritor americano do século XIX e cujo o conteúdo de suas historias estão envolvidas em mistérios sobrenatural, o autor se utiliza de muitas descobertas da ciência ou pseudociências do seu tempo como a hipnose no caso do conto: “O Estranho caso do Senhor Valdemar” e muitos historias são construídas num ambiente aristocrático (A queda de Usher, O Rei Peste, O Barril de Amontillado e etc) talvez ele quisesse dizer que a morte, a peste e a loucura não escolhem, simplesmente elas acontecem.

Na minha humilde opinião acho que se coloca Poe num lugar muito mais elevado do que realmente ele é (Me perdoem seus fãs), no Brasil temos Machado de Assis que é bem mais eclético, escreveu contos de todos os gêneros, nesta linha Machado de Assis bate Poe facilmente, basta ler O Alienista, A Cartomante e etc.

Não estou dizendo que é ruim, mas não são todos contos que são legais.

Curiosamente o conto que eu mais gostei de Poe foi O Relato de Arthur Gordan Pyn que é um suspense policial, fugindo da característica básica de Poe.

Não li todos os contos de Poe, mas li pelo menos de 10 a 12, para tirar à prova a melhor coisa é você mesmo checar, existem várias arquivos para download na Internet e as obras são de domínio publico cada um que tire sua própria conclusão.

Até a próxima.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Desafio Infinito


Desafio Infinito é uma saga da Marvel, onde o tirano Thanos reúne as cinco jóias espirituais com o intuito de impressionar a Morte que, no entanto o despreza.

Todos os principais personagens da Marvel participam desta saga, mas o eixo fica mesmo em torno de Thanos, há muitas reviravoltas na historia e parece que nada nem ninguém poderá derrotar o vilão.

Mas eis que surge Warlock do lugar mais improvável e a batalha toma dimensões épicas.

Uma das melhores historias da Marvel.

Acredito que só se achara em sebo está obra, apesar que como eu sempre falo, há opções de downloads, mas ai você deve caçar pelo Google.

sábado, 10 de setembro de 2011

Venus mais X


Este livro escrito por Theodore Sturgeon , apesar do nome não tem nada haver com o planeta Venus, trata-se de uma designação de uma raça hermafrodita, além de abordar temas  bastante polêmicos, como homossexualidade e incesto.

Uma raça chamada ledomitas trazem um homo sapiens do passado para que ele dê um impressão sobre sua civilização, durante a trama, ora passada no passado e ora passada no presente, filosofa sobre n temas, como a situação “suja” da mulher, as infinitas seitas protestantes e a distorção criada pelos homens do cristianismo, expondo seus lados positivos e negativos.

Há momentos que o leitor achará os ledomitas uma raça revolucionaria e outros momentos eles serão retratados como vilão, no final tudo não passará de uma grande trama de final surpreendente.

Apesar deste livro ter sido escrito em 1960, os temas abordados são atualíssimos, alias esta antiga coletânea da editora Hemus (Hoje só possível adquirir através dos sebos ou de forma eletrônica), são clássicas, então a leitura de Venus Mais X não pode ser deixada de ser lida pelos fãs da ficção cientifica.

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

E de Espaço


“E” de espaço ou no original ”S” of Space é uma coletânea de contos não necessariamente sobre o espaço, há uma mescla de contos sobre tudo se dando ênfase a fantasia.


Antigamente havia um programa de TV se eu não me engano o nome era “Amazing Adventures” que tinha as histórias de Bradbury como fundo, tanto que ele é conhecido como o maior contador de histórias da America.

Nesta coletânea duas coisas chamam a atenção a primeira a nostalgia da infância, como na historia do bonde que dá lugar ao moderníssimo ônibus ou sentir as mãos dos antigos marcianos que há tempos não existem mais.

Outra é a sensação de que se abrirmos mãos da modernidade o simples modo de vida de antigamente nos tornaria mais felizes e quem sabe, nos livraria de hecatombe nuclear.

Na época em que foram escritos estes contos nos anos de 1950, muita dessas coisas faziam sentido, mas teimo em acreditar que o futuro sempre será melhor, na verdade Bradbury quer dizer isto nas entrelinhas.

Para quem gosta de contos bem escritos este livro é um prato cheio, muitos contos que existem por ai é baseado nesta coletânea.

Até a próxima.

sábado, 3 de setembro de 2011

Planeta Neandertal


Nesta busca de achar boas obras de literatura fantástica a preços acessíveis, encontrei está obra num sebo no valor de R$ 9,00 (O Sebo do Messias), intitulada “Planeta Neandertal” de Brian Aldiss.

Brian Aldiss é um autor de ficção cientifica considerado herdeiro de HG Wells (A guerra dos mundos), seu principal conto que virou filme é AI Inteligência Artificial.

O estilo erudito de Aldiss torna sua obra muito mais importante do que os autores contemporâneos como Meyear e Brown.

O livro na verdade é uma coletânea de contos:

Planeta Neandertal

Num futuro, o governo instalado é a robocracia, onde os homens são considerados criaturas inferiores, e KD Andersson está fugindo do zoo (Onde os homens vivem) e recebe uma missão para ir Nehru II em busca do professor Arlbaster.

Anderson começa a receber uma influencia que o faz acreditar que é um Neandertal, ele retorna a terra e os robôs não sabem se o que ele diz é verdade.

E após alguns debates os robôs tomam uma decisão surpreendente.

Excelente conto.

A Síndrome de Randy

Também num futuro, onde a superpopulação está em níveis alarmantes, onde uma tecnologia de telepatone (comunicação via corrente sanguínea), as mulheres se comunicavam com seu feto.

Os bebes simplesmente não querem nascer e um psiquiatra tenta descobrir o motivo, os pais começam a ganhar dinheiro com a exposição do seu problema num programa de TV, Randy Jr, o bebê, se comunica com todos os fetos que não nascem.

O final é surpreendente e dúbio.

Excelente conto.

A Guerra Vitoriana

Este conto começa meio devagar, mas toma proporções sensacionais, Conhecem Matrix? Tenho uma leve impressão de que Matrix se inspirou neste conto.

O conto é ambientado num mundo super-populoso dominado por seitas secretas de toda a sorte de doutrinas, e Ultrect que é psiquiatra, se vê no liminar da loucura, entre dois mundos. (O atual e a era vitoriana).

E descobre uma grande conspiração de proporções sobre humanas da parte dos vitorianos e Ultrect tenta salvar a sua sanidade e a de seus companheiros e consequentemente o mundo.

O melhor conto desta coletânea. (Excelente)


INTANGIVEIS INC

Um jovem casal dá uma ajuda para um misterioso caminhoneiro enrugado que vende intangíveis e o velho enrugado faz uma proposta impossível de se cumprir, mostrando toda a obstinação do ser humano de querer fazer o impossível, mesmo que para isso ele abra mão de uma serie de coisas, pela simples obstinação.

O menor dos contos desta coletânea, um bom conto.


Desde o Assassinado

O ultimo conto desta coletânea: Um presidente assassinado, experiencias com drogas alucinogenas, um triangulo amoroso, homens que voltam da lua que avançam microssegundos para o futuro com más intenções, entregar o próprio filho como assassino, controle da superpopulação.

Estes são os ingredientes deste intricado conto com final surpreendente.

Um bom conto

Resumo geral do livro: Ótimo!

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

A Metamorfose


Franz Kafta com certeza é meu autor clássico favorito de estilo acido e contestador e moderno até para os padrões de hoje.


Imagina você ir vai dormir normalmente e acorda num corpo de barata, é assim que começa a historia.

O conto trata das metamorfoses que a vida nos causa, além da cega obstinação que temos pelo material. (Eu virei uma barata, por que tenho que ir trabalhar pra ganhar dinheiro?)

Enfim a obra trata do desespero de não aceitarmos o que mundo nos trás.

Uma obra inquietante e transformadora.

É um livro de domínio publico, pus um link abaixo para quem quiser ler:

http://dominiopublico.org.es/libros/Franz_Kafka/Franz%20Kafka%20-%20A%20Metamorfose_pt.pdf

sábado, 27 de agosto de 2011

3001 - O Odisséia Final


Ultima parte da Odisséia Espacial escrito em 1997, aqui são explorados os avanços tecnológicos do fim dos anos 90 e a conclusão do mistério dos Monólitos e David Bowman.

Este livro é bem integrado com 2001, mas creio que o grande valor deste livro são as conjecturas mais reais das viagens espaciais.

A historia se passa em 3001, a humanidade apenas colonizou Gaminedes e Europa tinha uma forma de vida primitiva e neste momento começava-se a explorar os planetas mais externos como Urânio e Netuno, e uma grande terra transformação se passava em Vênus, totalmente plausíveis, dado as grandes distancias do sistema Solar.

É difícil falar da quarta parte sem abranger o todo da historia, talvez a 3ª parte pudesse ter sido abreviada, mas no geral a história e bem intrigante e os fãs de ficção cientifica deve se sentir satisfeitos.

O único senão é que fica uma curiosidade o que aconteceu pós-desativação dos monólitos, não sei Clarke não teve tempo de escrever algo ou se ele preferiu deixar isto em aberto (Nos anos 90 os autores costumavam deixar os finais em abertos).
Pena que acabou...

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

O Alienista


Uma das coisas que o sistema educacional da minha época conseguiu, foi fazer uma grande gama de pessoas a odiarem os autores clássicos, depois de muitos anos longe da escola, eis que eu descubro um espetacular autor: Machado de Assis.

De escrita características e de historias, onde o comportamental humano é o foco, me deparei com “O Alienista”, uma historia de terror sem terror.

José Bacamarte, O Alienista (Atualmente conhecido como psiquiatra), vive na colonial Itaguai, onde se dedica ao estudo da insanidade e com plenos poderes para encarcerar na Casa Verde (O manicômio), quem apresentasse distúrbios mentais e logo quase toda a cidade é internada.

Vale aqui uma reflexão, o nosso médico em questão, achava um distúrbio uma pessoa que ficava dias e dias decidindo-se qual o colar que deveria ir a festa, ou aquele cidadão que fica parado na janela olhando os transeuntes passar.

Se levarmos assim, então, toda a condição humana é loucura, no final o próprio médico acha que está louco, pois é impossível ter um cérebro livre de defeitos.

É um livro de domínio publico e vale muito a pena ler esta obra e conhecer um dos nossos melhores autores.

sábado, 20 de agosto de 2011

A Casa de Arabu


Robert Howard tem dois celebres personagens Conan, o Climério e Krull, o conquistador, antes de qualquer coisa, gostaria de relatar que estava em busca de uma boa historia para ler e descobri este fabuloso autor.

A casa de Arabu não tem nenhum dos personagens famosos, se passa na época da antiga Caldeia, numa época envolta em misticismos e lendas.

Nosso herói foi amaldiçoado e ele parte numa jornada terrificante, em veredas onde nenhum homem jamais caminhou em busca de sua redenção.

O mais importante é a forma como Howard escreve, o clima e o ambiente ficam nítidos em nossas mentes, muita gente tenta copiar o estilo, mas ficam copias grotescas.

Na verdade conforme vamos lendo mais e mais, é compreensivo que ficamos mais exigentes e como muitos escritores não lêem, acabam sem entender porque suas obras não vão para frente.

Obra recomendadissima.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Superman & Batman X Aliens & Predador

Com o advento da Internet de banda larga e com a popularização do download, ninguém passa mais incólume, coisas antigas e fora de catalogo voltam a tona e outras nem saídas comercialmente já está disponível com tradução em português.


Onde isso vai parar? Eu tenho alguma, mas não é este o tema da prosa de hoje.

Quem viveu os anos 80 e 90, vai se lembrar que tudo que se produzia lá fora demorava anos para serem lançadas no Brasil e ainda assim muitas vezes vinham com cortes, falando de filmes, seriados, shows, Hqs, videogames e etc.

Alguns blogs em espanhol mostram como eram ricas as publicações em Hqs na Espanha e mesmo no Mexico, Argentina e Chile, graças aos fãs e a banda larga muitas dessas relíquias chegam agora em nossas mãos.

No meio destes downloads li um Hq de 2006 (Superman & Batman X Alies & Predador), não sei se ela foi lançada no Brasil, a historia não é lá grande coisa, mas me fez pensar em duas coisas:

1º) De acordo com o roteiro da historia, os Predadores são uma raça que circunda a estrela de Arcnotus e apesar do avanço tecnológica que utilizam em suas caçadas eles são animistas. Sendo assim será que existe uma historia periódica contando a historia dos Predadores ou só existem revistas em Crosovers?

2º) A fortaleza da Solidão do Superman, ainda é a coisa que mais me fascina no universo DC, pra quem não sabe a fortaleza da Solidão é uma pequena espaçonave, onde abriga uma intersecção de um universo em formação, ou seja, ela é maior por dentro do que por fora.

Pra quem quiser conferir esta historia, abaixo há o link.

http://www.ds-club.net/forum/portal.php

Até a próxima

sábado, 13 de agosto de 2011

Tau Zero



Tau Zero é uma ficção cientifica hard escrita por Poul Anderson o criador do aclamado filme Avatar.

Existe uma teoria em que se você converter o hidrogênio em antimateria você atinge o Tau (que nada mais nada menos que é a famosa equação da relatividade de Einstein) e quando mais próximo de zero você estará viajando numa velocidade incrivelmente absurda (muitas vezes a velocidade da luz), entretanto dentro da espaçonave se passa o tempo biológico.


A história conta a vida de 50 pessoas que vão colonizar um sistema planetário há 32 anos luz da Terra, entretanto, um acidente os desviam do objetivo e eles começam a atravessar o universo a uma velocidade espantosa chegando ao seu crepúsculo.

Como será que o ser humano se comporta, sabendo que o seu planeta e tudo que conheceu não existe mais?

O que será que vem depois do fim?

O livro aborda muito o aspecto psicológico, apesar de começar um pouco morno, ele vai esquentando conforme avançasse os capítulos.

Recomendado apenas para quem gosta de sci-fi.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Admirável Mundo Novo

Este é o tipo do livro que te faz pensar na vida e no que estamos nos tornando. Imagine um mundo onde as dores emocionais simplesmente não existem, pois são simplesmente curados com drogas, o sexo é livre, não existe o medo da morte e a obrigação do Estado é deixar seus cidadãos felizes, pois bem, este é o mundo de Admirável Mundo Novo.
O mais interessante neste livro é que os protagonistas vão mudando, dando direções muito diversas na trama, sendo assim, nunca se sabe o que virá a próxima pagina, mas estas nuanças todas nos trás há um jovem que viveu fora deste mundo utópico perfeito e simplesmente ele não consegue se adaptar sem um Deus, sem um sofrimento.
Neste conflito entre o velho e o novo modo de viver que se debatem nas paginas deste livro a questão principal é a seguinte:
- Encarar a vida da forma como ela é ou se drogar para viver uma vida feliz de ilusões constantes?
Os aspectos são debatidos de forma muito interessante mostrando os prós e os contras das duas opções de vida.
Apesar de uma dose clara de racismo, o livro é um dos melhores que já li, existe uma continuação chamada: “Regresso ao Admirável Mundo Novo”, leitura recomendada para quem gosta de questionar o status quo. 

sábado, 6 de agosto de 2011

O Circo Psicodélico Brasileiro


                “Eu tive um dia ruim”. -Pensou o cidadão comum, após descer do trem que parte do centro para o subúrbio, a passos largos, eis que chega a sua vila cheia de casas sem reboque de blocos cinza reluzentes.

                “Que bom!” – Pensou o cidadão, ao ver o boteco mal iluminado, além de bebidas alcoólicas e cigarros, aquele estabelecimento vendia outros tipos de “analgésicos”, dos mais nocivos e baratos fumados nos becos, até aos mais elaborados e finos, degustado nas grandes festas.
                O cidadão sempre teve curiosidade de experimental este “analgésico” de play-boy, mas custava caro, mas uma daquelas forças incontroláveis que se abate no ser - humano o vez comprar o tal produto e o experimentou ali mesmo e caminhou para sua humilde residência, um tanto decepcionado, por não ter dado nenhum efeito, antes tivesse tomado a aguardente.

                A passos lentos se topou com o carteiro que lhe com a voz em eco:
                - Uma carta pra você... – Uma carta pra vo...cê. – Uma car...ta pra vo...cê. – U...ma car...

                No coreto tocava uma música de circo no arranjo de uma caixinha de música e Raul Seixas cantava uma música nova:
                “Eu estou feliz, porque agora tenho o meu carro”
                “Eu estou feliz, porque tenho uma prestação de 30 anos”
                “Eu estou feliz, porque tenho a copa do mundo”
                “Eu estou feliz, Eu estou feliz, Eu estou feliz...”

                A canção repetitiva foi interrompida por uma marcha de deputados, à frente nada mais nada menos que o espetacular Jose Sarney, tirando dinheiro dos bolsos e jogando-os ao vento e gritando:
                “-Quem quer dinheiro?”

                E som da marcha àqueles políticos se estapeavam pelas notas de 3 cruzeiros, cruzados novos, novo cruzado, cruzeiro novo, algumas valiam vinte por cento mais e tinham a estampa de um gatilho, mas o cidadão estranhou aquela frase “Quem quer dinheiro?”, aquilo não encaixava.
              Então que percebeu que ao lado do coreto havia uma barraca de CDs piratas e Silvio Santos os vendia, utilizando os carnes, você pagava 12 prestações e no final retirava qualquer Cd pirata.

O Coreto deu lugar a beldades gustativas, tais como mulher-pêra, mulher-melancia, mulher-morango e outras que rebolavam ao som da marcha dos políticos que continuavam a brigar pelo dinheiro e do alto das lajes das casas simples, Ricardo Teixeira, dava risada alucinadamente, gritando:
            “- Eu sou o dono do mundo!”

O cidadão, puxou um cigarro e passou por toda aquela confusão, ainda teve tempo de cumprimentar o Bozo que discutia com o Datena de quem era a culpa pelo excesso de chuva no verão.
O cidadão pegou um pedaço de outdoor caído e deslizou pela ladeira, levado pela enxurrada do céu sem nuvens e novamente ao som da musica de circo com arranjo de caixinha de musica.
Deparou-se no portão de sua casa e tudo estava no seu lugar, percebeu que o efeito do “analgésico” havia passado e pensou:
           “- Nada que eu não tenha visto na vida real.”

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Odisseia Cósmica


Uma coisa que a Panini tem de bom foi ter lançado estes livros com sagas fechadas, pra quem não tem paciência de todo mês comprar revistas é uma mão na roda.

Odisséia Cósmica é ambientada no universo DC onde os heróis (Superman, Batman, o Lanterna Verde, Estelar, o Caçador de Marte e o demônio Etrigan), juntos com o tirano de Apokalipse o famigerado Darksaid.

Os Novos Deuses estão trabalhando na Equação Antivida e acabam libertando quatro espectros da entidade que tem por objetivo destruir 4 mundos, entre eles a Terra.

Como o fim do universo era evidente os celestiais uniram esta impensável aliança e se dividem em 4 planetas para lutar contra os espectros.

O final é bem empolgante.

Uma obra que vale a pena conferir.

sábado, 30 de julho de 2011

O Ceifador


                A noite inundava toda aquela região, deixando os corações apreensivos com medo do Ceifador, goles e mais goles de vinhos para se aquecer e um analgésico contra o terror que poderia se abater a qualquer instante. 
                Pirilampos e sacis desfilavam entre os cogumelos, aguardando a chegada do Ceifador, uma musica interior tocava na mente daqueles tolos homens.
                Uma tempestade se aproximava e estrondos cobriam todo vale cobertos de sombras que se iluminavam pelos infinitos raios, os espectros dançavam ao farfalhar das folhas de copas grandes, abrindo caminho para o Ceifador.

                Um raio atingiu uma moita seca que se inflamou e os primitivos homens se aproximaram tentando decifrar aquele mistério, sem muita demora, eles perceberam que se mantivessem aquela fogueira acessa poderiam manter o Ceifador longe de suas vidas.
                E assim o homem começou a enfrentar o Ceifador da Noite, apesar de que sempre o monstro tenta nos assustar, mesmo nestes dias da eletricidade encanada.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

O caso morel


Escrito em 1974 por Rubens Fonseca, conta a história do fotografo Paul Morel que se envolve num assassinato, a história é regada a sexo, desvelando a podre sociedade carioca da época, se bem que não é muito diferente de hoje.

Paul Morel começa na prisão, nós não sabemos o por quê, com o decorrer da história iremos descobrir, além de suas aventuras sexuais.

A história começa desconexa, quando você pensa que entendeu ela toma um rumo inesperado, tornando-se interessante conforme o suspense aumenta.

Não entrarei em detalhes, pois caso alguém queira ler, estragaria o suspense.

Não é de literatura fantástica, mas é um bom livro para se ler.

Nas livrarias o preço é em média de R$ 9,90. Precinho camarada!

sábado, 23 de julho de 2011

Spirit


                Não existe outra civilização, além da humana, pelo menos, era o que se comentava entre as varias colônias da via láctea nos quase cinqüenta mil anos que os pioneiros haviam deixado a Terra devido à alta radiação que se espalhou pelo planeta, devido ao terremoto que afundou as ilhas japonesas.

                Agora era à hora de visitar o antigo lar, os fanáticos religiosos apregoavam que nunca houve vida na Terra que tudo não passava de uma conspiração dos Iluminatis e que o dispêndio do dinheiro teria que ser em pró da propagação da religião única e verdadeira.

                Os políticos diziam que era mau uso dos impostos e que estes impostos de valores exorbitantes deveriam ser destinados as coisas básicas como saúde, educação e segurança, artigos raros nestes tempos de alta tecnologia, quem desejasse alguma dessas coisas teriam que pegar muito caro, enquanto isso os desvios dos impostos era feito a cara larga.

                Os filósofos havia perdidos seus livros e conseqüentemente toda a historia e perdidos nas suas jactâncias não conseguiam acrescentar nada a sociedade, apenas, palavras difíceis e sem nexos que não iluminava a mente medieval do homem moderno.

                Mas apesar de toda esta distopia, um pequeno grupo visionários decidem mandar uma nave para o sistema Solar, contra tudo e contra todos, partiram na nave Voyage, atravessando uma infinidade de parsecs, não era uma nave de recursos avançados, tanto que quando chegaram a orbita de Marte, os bravos viajantes não tiveram alternativas, senão descerem no planeta vermelho.

                Os aventureiros se depararam com um dilema: - Poderia ir para a Terra e ficarem lá ou Retornarem para o planeta-mãe.

                Na primeira alternativa poderia ser uma passagem para a morte, não havia como saber se a atmosfera terrestre havia se livrado da radiação e se voltassem não haveria mais oportunidade de fazerem mais uma expedição.

                Ainda a pensar, os bravos homens procuravam alternativas, um deles afastou do grupo e observava o céu rubro e a terra ferrugem do desolado planeta, mas uma coisa que refletia a fraca luz do Sol lhe chamou atenção.

                Era um painel solar, gritou para os companheiros que se aproximaram e com muito cuidado e desenterraram o curioso objeto:

                Um painel solar com rodas e uma pequena antena.

                Estava bastante enferrujado, mas após um tratamento anti-oxidante foi possível entender que era um robô que somente os terráqueos poderiam ter mandado, pois nunca havia sido comentado que em Marte houvesse vida e ali os visionários, antes de voltarem para o planeta-mãe, fizeram uma grande exploração e não acharam nenhum vestígio de alguma antiga civilização.

                O objeto ao chegar ao planeta-mãe foi alvo das mais diversas especulações, mas nenhum dos grupos que comandavam os homens deu o braço a torcer, diziam que era alguma sonda perdida , os religiosos no final de tudo obtiveram o robô e este se tornou o santo-graal  e gente de todo canto da galáxia vinha para adorar aquele inócuo objeto.

                Os religiosos ensinaram que aquele objeto era do Deus criador e que ele permitiu que os homens o encontrasse para lembrar de que devemos ser submissos as ordens religiosas.

                No fim o melhor era que tudo ficasse emergido na maior ignorância, e conforme se passou os meses o assunto foi sendo esquecido.

                Entrementes na Terra, a natureza havia se recuperado e a vida explodia com todo o seu fervores, cores e alegria.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

2061 - Uma Odisséia no Espaço III



A terceira parte de uma Odisséia Espacial, na verdade é o prelúdio para a o final da saga, mostra o que aconteceu com a Terra, após a transformação de Júpiter, mas o monólito continua envolto em mistérios.


A historia se concentra em dois locais; o primeiro é no cometa Halley e segundo é derradeiro é em Europa, onde os humanos estavam proibidos de explorar, e que seu gelo foi derretido, após a criação de Lúcifer (Júpiter transformado em estrela)

Após uma tentativa de seqüestro, uma das naves acaba caindo no satélite jupteriano e eles aproveitam a estadia para explorar este mundo primitivo e seu suntuoso monte (Monte Zeus) maior que o Everest, uma enorme pedra de diamantes que trás uma intriga de exploração comercial, mas, além disso, há uma surpresa muito interessante.

O livro acaba em quase 1000 anos no futuro, quando Lúcifer se apaga e o monólito encontrado na lua, agora na frente da sede nas nações unidas, dá um sinal de vida, fechando a terceira parte e dando inicio a quarta e derradeira parte.

A saga é excelente e deve ser lida pelos fãs de ficção cientifica.

sábado, 16 de julho de 2011

Simulacron 3

Todos nós já tivemos a sensação de que somos uma espécie de pião, muitas vezes não conseguimos explicar porque tomamos certas atitudes.


Com o avanço da computação, hoje temos jogos de simulação muito próximo do real, tais como: Sims, Roller Coster, Civilization e etc.

Simulacrom 3 de David Galouye trata disso.

Um engenheiro num mundo futurístico, onde as instituições de pesquisas dominam o cenário, e ele está trabalhando num simulador de ambientes, onde existe um mundo no qual eles examinam as reações das unidades analógicas a determinadas situações.

Porém o financiador da obra tem outros objetivos para o simulador, tornasse presidente da nação, mas alguns fatos estranhos começa acontecer com o engenheiro, como sumiço de pessoas e coisas e o fez refletir:

Será que estou num mundo analógico, também?

A trama se desenvolve na busca da verdade o leitor a tirar n conclusões, porém as coisas muito rapidamente, saindo do óbvio, trazendo um deleite para a leitura.

Matrix se inspira nesta obra, mas são coisas diferentes.

Excelente Obra.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

O Destino


                Há dias em que a paz toma conta da gente, mas para tal é necessário desligar o piloto automático, se desligar da rotina desenfreada que a cidade de São Paulo causa no nosso coração.

                Para ouvir o silencio da noite é preciso estar nesta situação de paz interior, como tudo no universo é formado da mesma energia, ao contemplar o vasto universo, conseguimos ver as explosões das super novas, as emissões radiativos do mortal pulsar e podemos viajar para o passado ou futuro, seja lá o que eu isso for?

                Podemos até entrar em contato com o nosso eu, nalgum universo paralelo e entender qual o objetivo da nossa vida, certamente é diferente de todo hipocrisia religiosa, filosófica e política, talvez seja tão simples e óbvio que se torna invisível para nossos sentidos.

                O inevitável é que não fugiremos de nosso destino e pra qualquer lugar que caminhemos será para a verdade absoluta, criada pelo Criador que não têm os pensamentos iguais ao do homem.

sábado, 9 de julho de 2011

Os oceanos de Vênus


Este livro eu já li há algum tempo, tratasse de uma novela do genioso Isaac Asimov, onde o herói Lucky Starr e seu amigo marciano são convidados a investigar uma situação estanha em Vênus.


Vale lembrar que nesta época, alguns cientistas achavam que Venus era coberto por um enorme oceano, depois uma sonda americana comprovou que na verdade Venus é um planeta inóspito, seco e sem vida.

Os governantes estavam sob efeito mental, mas de quem será?

Para saber você deve ler o livro! Kkkkkkk!

Boa leitura para quem gosta, garanto pra você que é surpreendente.

A Editora Aleph reeditou vários titulos do Asimov, mas os preços são mais altos que a distancia da Terra e Vênus, sugiro comprar num sebo, eu paguei R$ 9,00 no sebo do mesias. http://www.sebodomessias.com.br/

quarta-feira, 6 de julho de 2011

A Solidão do Espaço


                 A vastidão do sistema solar é tão grande que é comparável com a inquietante solidão do ser humano, naqueles dias ao redor do sistema jupteriano, onde as mensagens levam em torno de seis horas para irem e mais seis horas para voltar, é onde Major Soares se encontra.

                Quando adolescente havia lido muito os livros de Arthur Clarke e olhando pela pequena e redonda janela, esperava encontrar o monólito negro, mas apenas o silencio absurdo do cosmo é que se “via”.

                A ultima mensagem foi enigmática, ele teria que sair da nave para ajustar a antena de comunicação que por qualquer motivo havia se deslocado, causando uma grande interferência nas comunicações.

                Soares tomou todos os procedimentos de segurança e caminhava na gravidade zero, subitamente olhou na direção do grande planeta vermelho, onde Gaminedes e Europa passeavam lentamente, ficou a pensar nos seus cinco anos, não havia memórias apenas flashes, tentou retroceder mais na suas primeiras idades, mas nada vinha, a não a ser a face dos pais, felizes com o bebe.

                Naquele silencio espacial, lembrou-se que estava no útero da mamãe, sons de água e estática eram a tônica daquele ambiente de paz e proteção, forçou mais a memória e viu uma luz brilhante que formava um túnel ao som de uma musica celestial.

                O que será que havia antes do túnel?

                Seu devaneio foi quebrado por uma mensagem vinda da Terra, acelerando seu coração, devido ao susto, algum técnico o lembrava para consertar a antena e tinha lhe dado ordem para retornar para a casa e assim ele procedeu.

                Já dentro da nave Major Soares havia percebido que o universo era mais generoso que a maior imbecilidade que qualquer ser humano houvesse escorrido, seja ela, filosofia, religião ou sistema político e assim voltou para Terra com a certeza que apenas estava começando a sua grande viagem.

sábado, 2 de julho de 2011

1984


Há algumas coisas na vida que são tão obvias, mas você consegue achar uma lógica para aquilo que está se mostrando estranha a sua frente, darei um exemplo:

Os EUA bombardearam o Japão com duas bombas atômicas, depois os americanos ajudaram os japoneses a se reconstruírem e assim o Japão tornou-se um dos maiores aliados dos EUA, principalmente para se proteger da China, onde o Japão cometeu atrocidades equivalentes as dos nazistas.

No livro 1984 de George Orwell isto se chama “duplipensar”, isto é, você consegue fazer com que a mente acredite naquilo que os poderosos querem que você pense.

“O Japão nunca esteve em guerra com os americanos e sim contra os chineses”

Lógico que no livro a situação é levada a maiores extremos, 1984 geralmente encabeça as listas de melhores livros de ficção cientifica, quando não está no topo.

O livro é ácido, mostra toda a verdade que rodeia o nosso mundo, o amor ao poder, o controle mental, a repreensão e inevitavelmente os poderosos levam as massas exatamente onde eles querem.

O engodo da revolução francesa, o engodo do processo democrático, quem ler este livro, certamente saíra com outra visão do mundo.

No meio deste controle do partido, Winston, começa a questionar o grande irmão e uma serie de sabotagens, desobediências e traições e onde rola a historia e o final é extremamente realista.

Uma obra perfeita que você não deve deixar de ler, compre-a num sebo ou baixe uma copia eletrônica.

Até a próxima.

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Viagem Fantastica II


Sou fã inconteste de Asimov, então não se assuste vocês verão muitas dicas de leitura do mestre da ficção cientifica.


Na referida obra, Asimov explica que ele fez este livro sob uma encomenda de uma produtora de filmes que já havia filmado o primeiro livro.

A historia se trata um cientista americano que tem uma teoria de ler pensamentos, entretanto ele é ridicularizado por seus colegas, na sequencia é seqüestrado por agentes russos e levado para uma localidade da URSS.

Os cientistas russos têm o domínio da minitualização, entretanto, Shapirov, o homem que conhecia todo o processo, está à beira da morte e em coma.

A ultima esperança e pegar as memórias do moribundo e depois de muita intrigas, uma equipe de cientistas viajam através do cérebro.

Neste momento Asimov que é matemático, físico, químico e biólogo dá uma demonstração de todo o seu conhecimento.

No final eles não conseguem captar a memória de Shapirov, pois ele morre antes deles chegarem ao ponto necessário e o cientista volta para os EUA, o final fica em aberto: Morisson (O cientista americano), diz que os americanos têm o sistema de telepatia e os soviéticos da minitualização e que eles deviam se unir para construir produtivo.

A obra é de 1966, não é a melhor obra de Asimov, mas esta história abre um leque muito grande para se construir outras histórias. Leitura indispensável para os pretensos escritores de ficção cientifica.

Ótima leitura.

Não sei se editora Aleph está comercializando este livro, a única coisa que sei é que os livros da Editora Aleph são extremamente caros, é mais fácil comprar numa sebo ou caçá-lo na internet.

sábado, 25 de junho de 2011

É o Fim!


Um soco na boca foi o que recebi.
E isso p´ra mim pode ser o fim.
E que fim, pior eu poderia ter?
É o fim, p´ra não se ter mais fim.

Pessoas sem faces, feito marionetes.
Gritam e protestam contra o fim.
E que fim, melhor eu poderia ter?
É o fim, p´ra não se ter mais fim.

Eu vejo as cruzes daquele que choram.
Eles clamam, esperando o fim.
E que fim, para onde eu irei?
É o fim, p´ra não se ter mais fim.

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Aberração


A DC quando faz uma saga, ela costumeiramente é longa, entretanto, está é curta com 4 episódios, lançada no longínquo ano de 1988.


Com certeza houve uma grande evolução nas técnicas de desenhos e coloração das HQs, porém não há mais aquelas historias gostosas de ser ler, talvez muito em conta da nostalgia que sentimos da época de adolescente.

A historia é sobre um ser de luz de outra dimensão que vem a Metrópoles com o intuito de impedir que os “Macrolats” tomem posse de nosso universo, entretanto, os membros da Liga da Justiça não sabem desta trama e se tentam se livrar da Aberração por ela ser instável e poder destruir o planeta a qualquer instante.

Boa leitura nostálgica para se ler no final de semana.

http://www.ds-club.net/forum/portal.php


sábado, 18 de junho de 2011

Anos 80


               Neste revival anos 80 me fez pensar em algumas coisas. (Vale lembrar que vivi os tais ditos anos 80).
                Quem diz que os anos 80 foram os melhores anos, só pode estar de brincadeira, basta lembrar um sábado qualquer por volta das 2 da tarde, entra a tradicional musica do Chacrinha (“Aberlado Barbosa está com tudo e não dá prosa...), e esperar o naipe dos cantores da “Semana”, tipo: Silvinho Blau Blau, Sara Jane, Biafra, Olodum, Luiz Caldas, Agepê, Odair José e inúmeros “Famoso Quem?”.
                Sem contar que os filmes demoravam de 3 a 4 anos para estrearem aqui, um monte de macumbaria na TV.

                Os grandes astros do rock nunca vieram para cá, OK você me dirá: E o Rock in Rio? (Uma pequena exceção), tanto que o 2º só foi ter lá pro anos 90.

                Hoje não sou obrigado a assistir programas chifrim de domingo e nem novelas idiotas, temos DVD, Internet e TV a Cabo e posso passear com minha família, pois existem muitos lugares para se ir (cinema, restaurante, teatro, cinema, shopping, parque), coisa que nos anos 80 não tinham, era o parque do Ibirapuera e olhe lá.
                Alias nos anos 80 ir comer numa pizzaria era coisa muito garbosa, tal qual ir no Mc Donalds. (Pra ser honesto acho que na minha cidade só veio a ter Mc Donalds, no inicio dos anos 90).

O governo mais atrapalhado que o Brasil teve foi nos anos 80, lembram-se da inflação? Do gatilho? Do Sarney? Da Rede Globo ditando regra? Não sinto a menor saudade disso.
                Resumindo não há motivo nenhum para se achar que os anos 80 foram os melhores anos, o que fica é a saudade da juventude, nesta época de criança/adolescente as preocupações eram outras, menos pesadas do que da vida de adulto.

                Talvez muitos tenham deixado a barriga crescer e não conseguiram se resolver e que na época de criança/adolescente nós sempre achamos que um dia a coisa acerta, os anos passam e tudo fica igual e é normal sentimos nostalgia.
                De minha parte prefiro o tempo atual, onde existe mais consciência da ecologia, onde existem mais opções e o pensamento, e é no tempo atual onde você pode fazer a diferença.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

RPM

Se tiver alguém que possui um som futurista, este é o RPM.


OK! Você pode dizer que é uma banda fabricada, mas quem viveu o frenesi da época vai me dar razão, principalmente na época do “Radio Pirata”.

Depois de 25 anos não encontro nenhum show nacional com o mesmo naipe de Radio Pirata (talvez um acústico ou outro da MTV, mas já no meio dos anos 90), o teclado do Schiavon dá aquele clima futurístico, Paulo Ricardo era o galã do subúrbio caótico, as letras falavam de revolta num tom apocalíptico.

Em termos comerciais, talvez tenha sido a banda brasileira mais bem sucedida, mas por cabacice a banda acabou em menos de um ano.

A banda acabou e o Paulo Ricardo virou uma mala sem alça, mas o som frenético e orgasmático ficaram para a posteridade.

sábado, 11 de junho de 2011

Campos de Ouro


Eu estava entre tanta gente e objetivos.
Sentia-me tão perdido e solitário.
Eu não conhecia os campos de ouro.

Eu andava por todas as direções.
E os inimigos me atacavam.
Eu estava nos campos de ouro.

Eu vivo no vácuo eterno do tempo.
E a vitoria sempre está na próxima estrela.
Eu estou longe dos campos de ouro.

Corto Maltese - Sob o signo de Capricórnio


Com a popularização dos e-tabllets tornou-se possível recuperar e conhecer muitas coisas de todos os tempos na literatura, nas HQs, filmes e programas de TV.


E nesta revolução conheci um famoso e talentosíssimo desenhista Hugo Pratt e sua principal criação Corto Maltese.

Corto Maltese é filho de uma Cigana e de um marinheiro, nascido na ilha de Malta, é um marinheiro mercenário, ao mesmo, tempo que é um herói, tem uma frieza para atingir seus objetivos, ou seja, seu $$$.

Sob o signo de Capricórnio, boa parte da historia se passa no Brasil, dá-se que quem criou a historia é um brasileiro e é ai que consiste a grande surpresa.

Ele começa ajudando um menino inglês em Parnabaibo no Suriname, onde ele possui uns documentos estranhos, depois eles partem para Salvador na Bahia e depois para o alto São Francisco para ajudar uns cangaceiros.

Há misturas de lendas brasileiras, amazônicas, astecas e da lendária terra de Mú, muita ação e belíssimos desenhos.

Não vou contar a historia nos detalhes, convido o leitor a buscar nos downloads via Google ou comprar em sebos.

Não deixem de conferir esta maravilhosa obra.

sábado, 4 de junho de 2011

World War Hulk

É a primeira vez que falo sobre quadrinhos no blog, diga-se de passagem que é uma pena que esta arte esteja se elitizando.


Nos anos 80/90 você encontrava todo tipo de quadrinhos com preços bastante acessíveis, eu mesmo tinha mais de 1000 gibis. Há alguns que você ainda pode reler no blog Quadrinhos Antigos.

Neste tempos modernos eu li 3 sagas da Marvel: A guerra civil, planeta hulk e a World War Hulk.

A única que gostei foi a WWH, nos quadrinhos de hoje não existe mais a conotação mocinho e vilão, acredito que estas genealogias da Marvel e DC só complicam o leitor e os roteiristas, é difícil entrar no meio de uma saga e entender o que está acontecendo, tanto pra quem escreve como pra quem ler.

E os preços que a Panini cobra são caríssimos, imagina gastar quase R$ 100,00 em gibis?

Acho que gostei da WWH, porque o Hulk vai lá e destrói tudo, ao seu estilo, estimulado por um sentimento de vingança por ter perdido a mulher e o filho, na saga anterior (Planeta Hulk), está certo que o final foi horroroso, mas num todo foi bem legal.

Na verdade ando curtindo mais os quadrinhos antigos (Tarzan, Disney, Homem Aranha e alguns da antiga Ebal e outros em Espanhóis, baixados da HQ Point).

Os de hoje, infelizmente, estão longe de serem bons, não me incentivam a gastar meu rico dinheirinho.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Orgia Espacial


Autor: Paul O Neil.

Adaptação e Tradução: Amadeu Paes

A comunicação foi perdida. Não havia nenhuma dúvida sobre isso. Num primeiro momento, a selva parecia um lugar bastante agradável - cheia de pássaros e animais interessantes, e muitas plantas trepadeiras crescendo por toda a parte em busca do Sol.

Agora, quatro dias depois, as plantas estavam úmidas e estranhos sons das entranhas da selva o mantinha acordado durante a noite, morria de medo que um animal o atacasse, levando-o a exaustão física e mental.

Ele estava perdido numa selva inabitada, num planeta alienígena na borda externa de uma galáxia longínqua num universo paralelo e no quinto dia, sons de tambores começaram a entoar do coração da sinistra floresta, levando-o a refletir.

Era impossível, de acordo com o estudo dos astrônomos que enviaram varias sondas de estudo, este era um planeta desprovido de vida inteligente, nem mesmo de inteligência rudimentar.

Ainda a pensar nesta impossibilidade, um dardo atinge sua garganta jogando-o por cima de alguns arbustos.

Ele acordou e encontrou-se sentado numa clareira cercada por cerca de uma dúzia de mulheres jovens e nuas, ele pensou que se tratava de um sonho ou de uma alucinação, então disse ainda atordoado:

“Olá"

As arvores no entorno começaram a farfalhar e adejando, mais jovens fêmeas começaram a rodear num balé tantratico.

“Meu Deus!” - Pensou: "Elas são de uma beleza perfeita."

A mulher mais velha de cabelos esvoaçantes e pretos, olhou-o de cima para baixo e perguntou:

“Você é macho?"

“Você não pode me dizer?" - Ele respondeu, tentando afastar o tremor de sua voz.

"Todos os nossos homens-auxiliares foram mortos há vários anos num acidente bizarro envolvendo um rebanho de tartaruga gigante. Passamos os últimos anos procurando na selva homens-auxiliares para nos ajudar com nossas tarefas.

O astronauta perdido pensou: “Encontrei o Eldorado”, o mundo árabe das 1001 noites e com a libido subindo-lhe, perguntou:

"Então, quando eu começo?"

“Tem Certeza...” – Ela retorquiu acariciando os seios fartos. “Uma vez que diga sim, não poderá mais recuar.”

“Quem que saber de pensar em ir embora?” – Pensou o astronauta, enquanto a beldade acariciava os ralos pelos da genitália. – “Sim tenho certeza, quando eu começo?”. – Foi à resposta.

“Logo". - Ela respondeu com um brilho malicioso no olhar, apalpando seu clitóris.

O astronauta esfregou as mãos de contentamento.

"As crianças estão aqui..." Interrompeu uma ruiva.

"Filhos?" - O astronauta ficou confuso.

“Sim", informou uma loira e prosseguiu:

"Neste mundo existem muitos homens e nós gostamos de transar com eles, na verdade a nossa existência é só essa: Transar buscando as formas, mas prazerosas, mas nessas nossas experiências, acabamos gerando muitos filhos e como estamos ocupadas fazendo sexo, precisamos de homens que cuidem de nossos filhos."

“Mas não era isso que eu tinha em mente.” – Protestou o astronauta.

Elas o cercaram e disseram ao mesmo tempo:

"Não se preocupe, você será castrado e bem alimentado e viverá como um príncipe, desde que se concentre na mudança de fraldas e alimentação da nossa prole, se tentar fugir será estrangulado pelas nossas próprias mãos."

Elas, o olharam intrigadas:

"Por que você está com os olhos cheios de terrores, como se estivesse para desmaiar?"

sábado, 28 de maio de 2011

827 - A Era Galatica

827 a era galáctica é um dos prelúdios da saga Fundação (Dizem que é a melhor história de Asimov), a história pode ser lida independentemente.


Num futuro muitíssimo distante o planeta de Terra esta desolada pela radiação e é a escoria da raça humana, eis que surge uma conspiração para derrubar o Império.

Porém um arqueólogo do império vem para a Terra com o intuito de provar que o planeta Terra é o lar de todos os seres-humanos ele conhece um cientista e sua filha que estão testando uma maquina que amplia a capacidade mental, um homem de um passado longínquo sem mais nem menos aparece e passa por este processo.

Então a trama de desenrola, tendo como foco principal a coisa mais horrível que um ser-humano possa ter: O preconceito

Ótima obra do mestre!

quarta-feira, 25 de maio de 2011

2010 - Uma Odisséia no Espaço II

Esta é a 2ª parte da quadrilogia da Odisséia Espacial, aqui alguns mistérios são resolvidos e Clarke faz varias especulações como: As formas de vida aquática que existe em Europa (Lua de Júpiter), ele chega a contar uma breve historia de seres inteligentes.

Ele especula outra forma de vida na lua Io, mas não na concepção que deva existir água, mas vida numa nova composição química.

Bowan o piloto da primeira nave e que havia se transformado numa nova espécie, intervem diretamente na missão para que a tripulação não sofra com o maior espetaculo que estava por vir.

O mistérios dos monólitos continua, mas desta vez eles manipulam o planeta Júpiter transformando-o em algo inimaginavel que transforma toda a raça humana. (Não vou entrar em detalhes para não estragar, caso alguém queira ler).

E este mistério é a deixa para a 3ª parte, que brevemente irei relatar aqui.

Excelente obra do grande mestre!

É possível achar cópias eletrônicas por ai ou se preferir procure pelos sebos.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Lapso Temporal

Naqueles anos 90 muita coisa estava se transformando, mas coisa era certa: Os jovens sempre se divertiam e naquela sexta-feira a noite não seria diferente, o tradicional baile dos anos 50 estava mexendo com os brios da juventude.


Segui pela estrada arborizada que levava ao salão da minha pequena cidade, já a caráter: camisa branca, calça preta com suspensórios e muita brilhantina no cabelo, por qualquer motivo que não me lembro fiquei de encontrar meus amigos lá no salão.

A noite estava muito fria, entretanto com o céu estrelado, coisa normal na Serra do Mar e passo a passo ia chegando ao meu destino e já observava alguns Fordinhos, Cadilacs e ate Mercury conversível e outros carros da época e pensei:

- Nossa este baile está bem realista! -Olhei para o relógio e eram 11:11h da noite.

As meninas com saias coloridas e algumas com bolinhas coloridas e cabelos preso a lá rabo-de-cavalo, adentrei ao salão na esperança de encontrar meus amigos e o som de Chubby Berry estava terminando e já se emendava “Chapel of Love” do The Crystal e justamente na frase: “Bells is ringing...” eu olhei para uma moça que estava com uma saia vermelha salpicada de brotoejas brancas de óculos escuros, sorriu timidamente para mim.

Não me fiz de rogado e aproximei-me, após alguma resistência da moça finalmente tivemos uma conversa agradável e a convidei para tomar um refrigerante e fomos para o lado de fora do salão, ela pediu uma soda e eu uma coca, nos sentamos debaixo de um enorme carvalho de frente para a entrada principal do salão:

- Nunca te vi aqui antes, você mora por aqui? – Ela me perguntou.

- Sim eu moro no inicio desta rua, mas eu moro aqui faz muito tempo... Eu não encontrei os meus amigos, será que eles vieram para cá?

- Não sei. – Respondeu Jessica (Este era o seu nome), com seus olhos castanhos brilhantes.

- Que tipo de musica você gosta? – Peguei levemente em sua mão.

- Eu gosto de Litlle Richard, Bill Halley e é claro o maior de todos Elvis Presley.

- Você gosta de música antiga... – Eu disse com um sorriso tímido.

- Antiga! – Ela se surpreendeu. – O que existe de mais novo?

- Nirvana, Pearl Jam e Soundgardner.

- Nunca ouvi falar… Eles tocam country?

- Não... – Eu dei risada. – Ah esquece isso, vamos dançar?

- Você é estranho... – Ela sorriu com o canudinho por entre dentes. – Então vamos dançar...

E assim fomos ao salão e dançamos e namoramos a noite inteira, pelas tantas da madrugada ela foi-se embora num Fordinho 29 com outros amigos e segui meu caminho de volta para a casa, antes de nos separarmos ela me deixou seu endereço que não ficava muito longe dali.

Uma nevoa forte se abateu sobre a estrada e aquele ambiente de anos 50 foi-se despindo conforme eu avançava em meus passos, quando eu já estava relativamente longe a nevoeiro como que por encanto desapareceu e seguia a noite límpida e estrelada.

Vindo da direção contraria estavam meus amigos e um deles me perguntou:

- Você não vai ao baile?

- Já acabou...

- Como assim acabou? Agora são 11:20h da noite e o baile só começa a esquentar, depois da meia-noite.

Confirmei e eram àquelas horas mesmo, fui-me embora para casa e fiquei confuso com tudo aquilo, mas por fim o cansaço me venceu e adormeci.

No dia seguinte tudo parecia normal, vasculhei o bolso da camisa e lá estava o endereço que Jessica me deu. Bom, se o papel está ali quer dizer que a situação que eu vivi era real, só havia uma coisa a fazer: - Ir até o endereço que Jessica me deu.

Fiz praticamente a mesma rota para o baile, passei em frente do salão, apenas aquela bagunça de fim de festa, com garrafas de bebidas modernas, aquele ar de anos 50, simplesmente havia desaparecido.

Andei mais um quarteirão e finalmente cheguei à casa que estava anotada no papel, apertei a campainha e uma senhora de um pouco mais de 60 anos foi me atender:

- Em que posso ajudar?

- A Senhora conhece a Jessica?

- Se eu conheço... – Riu-se a Senhora. – Sou a própria meu jovem, o que você quer comigo?

- A Senhora esteve num baile ontem à noite, ali no salão da rua de baixo?

- Ah meu filho, já estive muitas vezes naquele salão, mas isso foi nos 50, quando eu era jovem, inclusive eu conheci um rapaz muito parecido com você, nunca mais o vi. Será que você e filho dele?

- Não Senhora... Desculpe incomodá-la.

Me despedi da Senhora e segui a minha vida, com uma pequena alegria, afinal de contas, foi o meu melhor baile de anos 50 que já tive.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

1808


Este livro relata a historia da família real portuguesa no período de 1807 a 1821 e da transformação do Brasil neste periodo, um livro vem pitoresco, apesar do autor não descrever nada além do obvio, mas este tipo de livro nos faz viajar através do tempo, como era o Brasil na época colonial e como se transformou num país independente.


No livro demonstra claramente a mazelas do paternalismo e corrupção que até hoje aflige nossa nação.

Um bom livro de leitura agradável, estou até curioso de ler o 1822.
 
BlogBlogs.Com.Br diHITT - Notícias