Recados e Novidades

Meu facebook:
http://www.facebook.com/?ref=tn_tnmn

Para troca de livros:

Projeto Palavras Cruzadas:

"Já é vender a alma não saber contentá-la." Albert Camus - O Mito de Sísifo.

O projeto 'Palavras Cruzadas' promove encontros mensais (segundo sábado de cada mês) em que são lidos e discutidos trechos de obras importantes da literatura e filosofia surgidas à partir do século XX.

No encontro do dia 13/07 o livro utilizado será 'O Mito de Sísifo' de Albert Camus.

O evento começa às 15h30min.

A coordenação é de Vanessa Molnar, historiadora (USP) e escritora e Fábio Donaire, estudante do Bacharelado em Ciências e Humanidades (UFABC). Estamos localizados na Rua Professor José Franco, 166 – Bangu (a 10min da UFABC de Santo André, na rua do restaurante Frangasso).

A entrada é franca.


segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Lygia Fagundes

Excelente entrevista com Lygia Fagundes, onde ela explica a construção do polêmico conto Tigrela

A MINI-SAÍA

                Quando pensei neste projeto “Túnel do Tempo”, imaginei subir os posts do Sergio Sampaio e David Bowie, mas me deparei com esta critica feita no dia 12 de Novembro de 2009.

                 Lembram-se da Geisy Arruda?  (Nem sei se é assim que se escreve)

                Pois é, a garota se deu bem: Revistas masculinas, livros, entrevistas e hoje trabalha na Escolhinha do Gugu como pseudo-comediante e não encontro melhor classificação do que a feita pela Desciclopedia (Eu adoro este site). http://desciclopedia.ws/wiki/Geisy_Arruda

                Na época eu critiquei este falso moralismo dos alunos da Uniban (Hoje faculdades Anhanguera), afinal atire a primeira pedra quem nunca sentiu tesão por uma pessoa vestida sensualmente.

                E convenhamos a Geisy não era nenhum primor de beleza ou musa inspiradora de alguém, nem mesmo hoje com um monte de plásticas ela se tornou um símbolo sexual.

      Como sempre digo: “Vivo na cidade dos cérebros de minhocas”, as moçoilas da Uniban, apenas deram fama a esta pessoa que convenhamos não tem talento nenhum, mas devo admitir que ela tem inteligência e está sabendo faturar.

                Afinal de contas num país, onde se discute se o camarada estuprou outra num programa de TV que é uma verdadeira festa de embalo, não se pode exigir nenhuma moralidade de ninguém.

                Logicamente você precisa ter senso de ridículo pra saber que tipo de roupa se deve usar em cada ocasião.

                Enquanto o povo fica hipnotizado pelas celebridades instantâneas, lá em Brasilia... ah meu Deus, só o Senhor é que sabe o que está acontecendo...


"Meu nome é Ronaldo Play minha vida é super agitada, acordo 8:00h da manhã, eu vou à academia bombar meus músculos e na seqüência vou à faculdade.

Eu e meus amigos somos super “zueiros”, cabeça abertas, mexemos com as menininhas nas ruas, tiramos sarros dos catadores de papeis e das empregadas domesticas.

Sou super liberal, posso namorar com homens ou mulheres, mas se for com homens ninguém pode saber. 
Sou super moderno! "

Naquela manhã uma garota, nem tão bonita e nem tão feia, aparece de mini-saía mostrando um belo par de coxas, causando um reboliço na bucólica universidade.

Ronaldo Play garoto super moderno, ficou revoltado com aquilo e berrou pelos corredores a pleno pulmões:

Somos um povo onde as mulheres não desfilam nua nas ruas!
Somos um povo onde não tem prostituição infantil!
Aqui não existem pedófilos!
Só fazemos sexo na posição de papai e mamãe!

Essa transgressora da moral, deve ser queimada como uma bruxa, cadela e imoral!

Moral da história:
A moral é algo que serve para os outros e não para nós!

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Idiotolândia

             Você já se sentiu como um peixe fora d´água?

          É assim que eu me sinto nestes últimos 20 anos por ver tanta idiotice que rola nesse país, principalmente na grande mídia, até o dia em o Carlos Nascimento deu um singelo basta.

     
         Como as pessoas gostam de coisas banais, “Onde está Luiza?”, “Golpe da gravidez de quadrigêmeos”, “Estupro no BBB (A praga do verão) entre outras.

                Eu me lembro que no inicio dos anos 90, o pagode tomava conta de São Paulo com musicas do tipo “Ele vai dar uma paulada na barata dela...”, em seguida veio o besteirol dos Mamonas Assassina (acho que podemos colocá-los como os reis da Idiotolândia), depois o Tchan com sua boquinha na garrafa.

                Meus amigos cantavam e dançavam estas coisas considerando estes artistas como a nata cultural do Brasil, inclusive as moças do Tchan pousaram para revistas masculinas mostrando aquilo que é a unanimidade nacional, ou seja, a bunda, hoje as mulheres frutas devem agradecê-las ou devem agradecer a Gretchen????????

                Depois de tanta bunda exposta em rede nacional, fiquei com o sentimento de que o povo gosta de tomar na bunda pra dar risada, tão desviando o dinheiro da merenda escolar... Tudo bem desde que haja bunda na TV.

                Hoje temos a unanimidade de Michel Teló, Luan Santana e aquele cara que canta: “Vamos dar uma fugidinha”, mulheres frutas, funck e outras tralhas.

                Sem contar certas apresentadoras como Daniela Albuquerque, Luciana Gimenez, Patricia Poeta e outras, que só Deus sabe como elas estão na televisão. (Na verdade todos nós sabemos).


                Não vou criticar o Restart porque é coisa de adolescente, pra quem já gostou de Skid Row, Poison e Mr. Big, essa até passa.

                Não quero ser aquele cara amargo que não acha nada engraçado (Raul já dizia isso), mas tudo tem limite até mesmo no Reino da Idiotolândia.

                Desde 1988 quando a censura foi banida, tudo que é de mau gosto aflorou por este país e o que era de bom gosto ficou relegado a segundo plano.

                Agradeço ao Carlos Nascimento de ter feito este comentário, estou torcendo para que enfim o Reino da Idiotolândia seja destruído.

                 Abaixo uma cena do filme "Quanto mais idiota melhor"

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Raul Seixas por Sylvio Passos

                Seguindo a programação de verão do Sesc Santo André, dia 20/01 rolou o projeto Da Letra ao Som e dessa vez o anfitrião foi Sylvio Passos apresentando Raul Seixas.

               
                Raul Seixas dispensa qualquer comentário, é o maior ícone do Rock nacional, das histórias que Sylvio contou as que mais me chamaram atenção  foram as parcerias do Raul.


Com Leno.
                Leno da dupla da jovem guarda “Leno e Liliam”, fez um disco mitológico chamado “Vida e Obra de Johny McCartney” que tem a produção e co-autoria nas musicas de Raulzito, gravado em 1971.
                Este disco é muito avançado para época, falava-se de sem-terras, questionamentos profundos metafísicos e criticas politicas.
                Eu o ouvi pela primeira vez em 2006 e confesso que o disco continua na vanguarda mesmo pros dias de hoje.

Com Sergio Sampaio.
                Se o Raul Seixas é o ícone de hoje a culpa é toda do Sergio Sampaio. (Na minha opinião que vai de encontro com a de Passos, Sampaio chegou superar Raul nalguns discos, pena que os caminhos que ele tomou na vida, encurtaram sua carreira).
                Ele incentivou o Raul a largar o escritório e cair de cabeça na vida artística.
                É uma mistura interessante Raul do rocke Sampaio do samba.
                Sampaio escreveu a maior parte das letras do mitológico disco “Sociedade da Grã-Ordem Kavernista Apresenta: Sessão das 10) de 1971.
                Se Sampaio e Seixas tivessem continuado a parceria, digo, sem medo de errar, que nos teríamos outro Raul, muito mais psicodélico.
Com Paulo Coelho.
                Hoje muita gente odeia o Paulo Coelho, os mais fanáticos raulseixistas, acham que ele se aproveitou da fama do Raul para alavancar sua carreira (De fato Paulo Colho nunca foi musicista).

                Porém a amizade era muito forte, ele levou Raul a conhecer Crowley, e quer queira quer não, ele esteve com Raul no seu auge:

               Gita, Há dez mil anos atrás, Medo da Chuva,Tente Outra Vez, Al Capone, A maçã e outras muitas.
                Segundo Passos o clima místico das musicas,  pode ser atribuído ao Paulo Coelho na maior parte.

Com Claudio Roberto.
                Claudio Roberto é co-autor das músicas Maluco Beleza, Rock das Aranha, Cawboy fora da Lei, Aluga-se entre outras.
                O cara é  na verdade é o verdadeiro maluco beleza da história, diz a lenda que a letra é dele.
             É avesso aos holofotes, vive num sitio no Rio de Janeiro curtindo a vida.
É o maior parceiro de Raul, não apenas musical, mas em tudo.
Com Marcelo Motta.
                Marcelo Motta é o grão-mestre de uma ordem esotérica e pintou nalgumas canções do disco Novo Aeon de 1975, no fim acusou Raul de estar plagiando Crowley (Como se plageia alguém que deixou uma obra pública?), e o baniu da ordem esotérica.
                Na minha opinião um verdadeiro babaca.

Com Marcelo Nova.
                Infelizmente Crowley tomou conta da vida de Raul de forma incontrolável (faz o que tu queres, pois é tudo da Lei! - é a máxima do Liber Oz).
O bruxo inglês prega uma liberdade sem limites e Raul levou sua vida assim, penso que Crowley fez mais mal pra Raul do que o álcool.
                Raul estava sem amigos, tinha virado piada de bastidores e com depressão, então Marcelo Nova, fã da época dos Panteras o trás pra junto dele e fazem uma sequencia de 50 shows em 1989 que culminou com o disco a Panela do Diabo.
                O disco tá mais a lá Marcelo Nova do que Raul, mas era o crepúsculo do genial Raul, e compuseram a mítica “Carpinteiro do Universo”,  eles já avisavam sobre a ascensão de Edir Macedo com “Pastor João e a Igreja Invisivel”, um pouco antes no disco de despedida do Camisa de Venus eles compuseram “Muita Estrela pra Pouca Constelação”, entre outras.

                Estes foram os principais parceiros de Raul Seixas, abaixo 3 vídeos que fiz, a qualidade num é lá essas coisas, mas serve pra curtir esta nostalgia.
(Por isso a nostalgia ando curtindo sem querer, porque está faltando alguma coisa acontecer...)





sábado, 21 de janeiro de 2012

3 Anos do Absurdo Fantástico

Hoje faz 3 anos que o Blog do Absurdo Fantástico está no ar, a principio ele começou como um lugar para eu mostrar meus trabalhos literários para as editoras, depois virou um lugar para se criar uma revista eletrônica (ainda não desisti), e por fim virou um blog pessoal e de reportagens.
No começo eu queria que o mundo inteiro lesse meu blog, isso me deixou um tanto ansioso, hoje sou bem tranquilo a respeito disso, às vezes, deixo o blog 2, 3 meses sem postagens.
Este blog acabou virando um diário da minha vida, se você quiser saber como eu era há 3 anos é só pegar as postagens antigas.
                Dos amigos que conheci virtualmente, ainda não conheci ninguém pessoalmente, mas tive contato com todo tipo de pessoas dos mais loucos aos mais centrados, dos mais otimistas aos mais pessimistas, de crentes a ateus, gente do Brasil todo, da Rússia, dos EUA, da França, de Portugal, da Espanha e do Japão.
                O que este blog me ensinou é que o mais importante é fazer o que se gosta, sem neuras, afinal são muitos canais de comunicação Blogger, Orkut, Facebook, Twiter, Skipe, Dihitt, Recanto das Letras, Mesa do Editor e outros que não me lembro, não dá pra ficar antenado 24 horas.
                Separei as seções do Blog-List em Blogs do Coração e Blogs de Parceiro, os blogs do coração são os que eu sempre estou lendo, os dos parceiros eu leio esporadicamente.
                Percebi que os blogs culturais não duram muito tempo, nascem e morrem numa velocidade impressionante, mesmo aos trancos e barrancos o Blog do Absurdo Fantástico permanece firme e forte.
                Modéstia a parte, tem muito material bom aqui no blog e para não se perder nas novas postagens, irei ressuscitar alguns na “Sessão Túnel Do Tempo”.

                Teremos também o projeto “Quimeras do Elfo Moderno”, onde transformei em historias os meus sonhos. (Sim amiguinhos eu mantenho um diário de sonhos)


                O outro projeto que já está rolando será a sequencia de espetáculos do “SESC do Santo André”, pra quem quiser ver os shows ao vivo, é só acompanhar a programação, o site está nos “links interessantes”.


                Tem o “Desafio dos Escritores” do qual eu estou participando, conforme for rolando os projetos eu vou informando aqui.


                E por fim e mais importante o projeto “Dogmas dos Sentimentos”, finalmente este ano saíra o livro de maneira profissional. (Se Deus permitir).


               As resenhas dos livros, dos artistas, casos insolitos, poesias, contos, crônicas e outras doideiras da minha cabeça continuarão.
                Agradeço a todos os leitores que deixam mensagem aqui e/ou nos outros canais de comunicação e dizer que o mais importante é a amizade sincera e sem interesse.
                Deus na sua enorme benignidade abençoe a todos.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

A Formação da Lua



Numa pequena cidadela.
Num tempo bem remoto.
Vivia uma linda donzela.

Quando vieram os marcianos.
Quiseram a todos destruir.
Mas evitaram tais danos.

Levaram a donzela toda bela e nua.
Na bóia espacial que virou a lua.

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Orquestra de Violoncelistas da Amazônia


                Mais um grande show acontecido neste verão no Sesc Santo André, domingo passado assisti  a Orquestra de Violoncelos da Amazônia, um grupo de Belém do Pará.
                O Violoncelo num primeiro momento nós pensamos num instrumento erudito, mas esta orquestra executa músicas de rock, a ideia é popularizar o instrumento e atrair os jovens.

                Neste concerto foram tocadas musicas do Metálica, Led Zeppelin, Europe, Iron Maiden e outros.
                Pra quem espera meninos comportados, se surpreendera com a performance de palco,  verdadeiros headbangers, além de excelente improvisação.



                É uma pena que o Brasil não alastre estes projetos culturais em todas a periferias e cidades do interior, imagine quantos talentos estão sendo perdidos por ai.
                Muito da culpa é do próprio publico que prefere ver big-brother, novelas e coisas sem conteúdo e que não enriquecem, deixando o cidadão alienado.
                Se você tiver a oportunidade de ver estes garotos não deixe de prestigiar.


O blog da orquetra é: http://amazoncello.blogspot.com/

sábado, 14 de janeiro de 2012

Pink Floyd por Violeta de Outono


O lugar que eu mais gosto de estar é no Sesc Santo André (as vezes até mais que minha casa), o clima de cultura, quietude e civilidade é a formula que me faz relaxar.

Sem contar que eu sempre me surpreendo com a qualidade das obras apresentadas e não diferente nesta sexta-feira 13.

O Kid Vinyl, um velho conhecido,  como mestre de cerimônia , abriu o projeto “Da Letra ao Som” que vai rolar toda sexta-feira de janeiro e fevereiro com exceção da sexta-feira  de carnaval.

E juntamente com a excelente banda Violeta de Outono iniciou o projeto que é uma biografia com bate-papo e musica de grandes artistas e nesta feira o homenageado foi a fase inicial do Pink Floyd e Sid Barrett.

Pink Floyd  é a junção do nome de 2 blues-man : Pink Anderson e Floyd Council
Vou tentar transcrever como foi o espetáculo. Em principio o Kid Vinyl nos explicou o inicio obscuro do Pink Floyd e o seu primeiro disco The Piper at the Gates of Dawn de 1967, apesar do exotismo o disco alcançou o 6º lugar das paradas inglesas.


Dizem que o Sargent Pepper´s foi o que deu inicio a psicodelia, isso é muito discutivel, pois não houve um disco, mas sim um movimento do qual o Pink Floyd é o maior expoente.
No Brasil não chegou esta fase Barrett, a tropicalia tomava conta com Gilberto Gil, Caetano e Mutantes e estavamos anestesiados com a beatlemania.
Foram executadas 5 músicas deste disco na excelente performance do Violeta de Outono e nesta fase inicial 1967-69 com Barrett muitos outras artistas, inclusive Beatles, iam xeretar o que o Pink Floyd fazia, pois traziam novidades pra época.
Chama atenção a musica Arnold Layne que conta a historia de um homem que rouba roupas femininas para usá-las a noite, não foi bem recebida nas grandes radios, talvez tenha sido a primeira e unica musica que fale sobre travestis.
Se liguem nos teclados Hammonds:


Mas nem tudo são flores Barrett que tinha um problema mental, uma esquisofrenia, foi agravado devido ao uso excessivo de LSD e David Gilmour foi contratado em 1968 e aos poucos foi assumindo os vocais.


No segundo disco A Saucerful of Secrets de 1968 é o canto do cisne para Barrett e a ultima musica Jugaband Blues soa como despedida, de fato nunca mais tocaria no Floyd.


Já sem Barret a partir do 3º disco Ummagumma, começa a virada da psicodelia para o progressivo e devido a sonoridade, eles começam a fazer trilhas sonoras para filmes, mas o que mais chama a atenção em Ummagumma (disco duplo, um ao vivo e outro de estudio), cada lado era um exercicio solo de cada integrante, talvez o disco mais enigmatico do mundo.

As capas começam a ter um tratamento todo especial criada pela empresa Hipnose que também fez a famosa capa do disco IV do Led Zeppelin.


Um elemento importante nas musicas o teclado Hammond que dá o clima de “viagem” nas musicas psicodelicas, além que o Floyd era muito aberto a world musica, aceitando elementos classicos, jazzisticos e orientais (musica indiana).


A explicação fica na formação academica britanica, onde a musica erudita é ensinada desde criança, isso explica o ploriferação de muitas bandas inglesas.

Barrett ainda fez dois discos solos, ele tocava sozinho no estudio, mas ninguém entendia as letras e nem as musicas, depois os musicas deram uma roupagem e foram lançados este disco, mas infelizmente Barrett nunca mais voltou a razão e ficou preso em sua doença mental.


Minha impressão final é para quem não teve oportunidade de ver o Pink Floyd e Syd Barrett foi um excelente programa que me enriqueceu culturalmente, espero ter passado a emoção que senti de assistir este show.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

3%

             Os amigos que me acompanham a algum tempo sabe como eu defendo a produção cultural nacional de fantasia, por isso mesmo tenho tenho admiração pelo André Vianco e Eduardo Sophr.
            Por que são grandes escritores?


            Não exatamente por isso, mas porque eles demonstram que sim, é possível, utilizar-se de elementos brasileiros para montar boas historias de fantasia.
                E no blog do Universo Fantástico me deparei com uma coisa muito legal é o piloto de um seriado de sci-fi totalmente nacional (para mais detalhes:
http://universofantastico.wordpress.com/2011/06/13/3-programa-piloto-da-serie-de-ficcao-cientifica-brasileira-esta-disponivel-no-youtube/)


                Como nosso ministro da economia diz que hoje somos a sexta economia e que logo seremos a quarta, então haverá bastante campo na área de entretenimento, só espero que os diretores, escritores e roteiristas não caiam naquelas narrativas de pornochachada e novelas que ficam seis meses no ar pra não dizer nada, além de ensinar coisas erradas.
                Poderíamos produzir coisas do tipo “Grim Tales Fairs”, ou seja, pegar a mula-sem-cabeça, sacis, boitatá e outras lendas e torná-las mais sombrias e modernas, há muitos mistérios nas matas, muitas lendas urbanas que podem ser exploradas.


                Tem o período militar, a operação prato, o ET de varginha e os avistamentos no planalto central, ótimos temas para montar historias de conspiração e sci-fi.


                Enfim vamos aguardar as novidades, abaixo o vídeo piloto do seriado 3%.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Eterna Discussão

             Uma grande preocupação nos dias atuais era como o ser - humano iria sobreviver nestes tempos de egoísmo e consumismo e na cozinha da capela abobadada dois amigos discutiam tal tema.

            Romualdo tinha uma voz dissonante, porejava muito devido a sua forma física não ser a ideal, muito boquirroto usava de mendacidade para impor seu ponto de vista.
            Do outro lado estava Romildo mais centrado no que dizia e vaticinava sobre tudo que o rodeava, não gostava das palavras anátemas que seu amigo dizia, mas ainda assim procurava argumentar para lhe trazer a luz da sabedoria.

            Naquele ínterim o governante daquela província, num momento de loucura neriana, resolveu praticar o esbulho de todas as igrejas, independentemente da fé, não havia outro motivo que não enricar a custa de algo que o povo já não acreditava mais e assim estrepitaram os sisudos soldados.

            Ainda no calor da discussão os amigos nem perceberam a chegada da legião que abruptamente os derrubaram no chão, Romildo por ter porte físico esguio, soçobrou-se rapidamente e de relance viu seu pobre amigo gordo ser arrastado para fora do tinelo, deixando um rastro de sangue no piso.

            Romildo correu sem rumo pelo bosque que ladeava a igreja rústica, ao fundo ouvia-se o som dos cães que rosnavam em busca de sua presa.

            Tropeçou numa raiz atravessada na trilha e teve suas mãos e rosto arranhados que escorriam filetes de sangue vivo que atiçou mais ainda a ira dos cães.

            Levantou-se e mancando, orou a Deus, mas este preferiu permanecer em silencio e por fim os cães o alcance lhe rasgando a carne, seus gritos de agonia ecoavam por toda a gélida floresta e não resistindo aos ferimentos teve o mesmo destino do seu amigo.

            O desalmado governante tomou toda a riqueza das igrejas, provando que Deus não se interessava por assuntos humanos, porém muitos anos depois o rei já velho, caçava por aquelas mesmas terras, onde ficava a antiga igreja.

            E quando preparava para abater um cervo, cães do inferno surgiram por dentro da mata e trucidaram o rei comendo toda a sua carne, após este evento se materializou duas áureas, eram os monges Romildo e Romualdo.

            Eles continuavam a discutir se humanidade conseguiria sair daquela situação consumista e egocentrista.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Estado Cracolândia



Desde tempos imemoriáveis perto da região da luz foi reduto dos excluídos da sociedade e de uns 20, 30 anos pra cá reduto dos viciados em craque.

Finalmente alguém resolve por o fim no Estado da Cracolândia, li algumas crônicas e noticias e percebi como nós, brasileiros, estamos longe de ser uma civilização avançada.

A esmagadora maioria diz não ter nenhuma responsabilidade pelo antro putrefaço que se tornou a região da luz, por um simples motivo: “Eu pago imposto.”

Partindo dessa premissa, então, os problemas do mundo se resolvem pagando impostos, ora se assim fosse verdade o império romano jamais teria deixado de existir, na verdade devido ao grande volume de impostos a corrupção tornou-se corriqueira e até aceitável e por fim a desintegração do império (parece um país que eu conheço).

É obvio que o dinheiro é desviado, mas o grande mal é a desestruturação das famílias, a falta de perspectiva em relação à vida e o amor e temor de Deus no coração.

Pode-se notar que todo o mal do mundo vem acompanhando dessas três coisas.

Sem educação as pessoas fazem filhos e deixam ao relento, logo não há perspectiva para o futuro, apenas viver um dia após o outro, chegando-se a conclusão que Deus não existe e que não há nada além da vida.

Isso não vale só para camadas mais pobres da sociedade, as mais altas também sofrem com isso, quantos filhinhos de papai são viciados em drogas? Será que eles não receberam dinheiro suficiente para estarem em paz?

É necessário uma inversão de valores do consumismo desenfreado e egocentrismo para o amor e construção de uma civilização elegante, ordeira e tolerante.

E pra fechar gostaria de compartilhar este vídeo do Lulu Santos, Tempos Modernos.


quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Chegou o verão... Chegou à chuva...


É incrível como a falta de planejamento é latente em nosso país e eu não digo só na esfera governamental, mas também nas empresas privadas (escrevo isso, pois sou gestor de TI).

Aquele que tiver surpreso com as enchentes que assolam nosso país só pode ser falso, aqui na minha região (ABC Paulista), desde que eu me entendo por gente houve enchente, fosse do Rio Tamanduateí, Ribeirão dos Couros ou Córrego dos Meninos.

O mais impressionante não bastou as ultimas tragédias (Angra dos Reis/RJ, Região serrana do RJ (a maior da história), Mauá/SP, Santa Catarina, Belo Horizonte só pra ficar nas ultimas), ninguém planejou nada.

Na verdade houve sim, conforme o Bom Dia Brasil da rede Globo, nosso ilustre ministro Fernando Bezerra Correia do ministério da Integração Social recebeu uma verba de R$ 58 milhões para a prevenção de enchente para o país todo, sabem quantos foram repassados? 10%. E desses 10% sabem quantos foram para Pernambuco terra do ministro que anseia a prefeitura de Recife? 90%.

A desculpa foi que as prefeituras e governos não apresentaram projetos viáveis ou simplesmente não apresentaram em contrapartida as prefeituras e governo dizem que a burocracia é intransponível.

A pergunta que não quer calar:

Onde foi parar o dinheiro de combate as enchentes?

Uma boa pergunta para o ministro responder.

Enquanto isso vamos navegar no mar de lama da corrupção, das chuvas, ceifando a vida das crianças, idosos e destruindo sonhos e auto-estima do povo trabalhador.

Pra não dizer que só sei reclamar, tenho algumas idéias para amenizar os problemas da enchentes, afinal, não tem como controlar a mãe natureza.

- Limpeza das bocas de lobos e bueiros diariamente, principalmente no verão.

- Um grande plano de habitacional com urbanistas gabaritados desenvolvendo bairros arborizados com escolas, posto de saúde básico, preventivo, delegacia de policia e um sistema de transporte eficiente tal como o trem (não precisa ser metrô) para levar os trabalhadores, tudo simples, mas limpo, funcional e bem cuidado. A própria população cuidaria do bairro que atenderia no máximo 32.000 habitantes.

- Com os bairros planejados e longe de rios, faríamos a transferência dos moradores para tais bairros, lógico que eles pagariam uma pequena prestação pelas casas e quem fizesse contrato de gaveta e grilagem seria imediatamente preso sem fiança.

- Os morros se transformariam em parques santuários da fauna e da flora.

Com estes projetos acredito que geraríamos empregos nas áreas de construção civil, educacional, medicina, segurança e florestal, sem contar o desenvolvimento do comercio.

Não fiz as contas disso, mas tenho certeza que teria recursos mais que suficientes, o que falta é boa vontade e gente não esqueçam.

Votem certo!

E vamos orar pelos flagelados e pedir para que ninguém morra vitima de enchentes neste verão.

Até a próxima.

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Projeto de um Brasil Sustentável



Como primeiro post do ano, gostaria de comentar a foto acima que na verdade é exatamente assim que a casta de políticos nos veem, ou seja, como escrementos.

Antes de concluir o texto quero dizer que não sou tucano e nem petista, me considero anarquista e faço minha a frase principal do anarquismo:

“Para algo funcionar bem, tudo que existe deve ser destruído e começar de novo”

Voltando aos políticos, na verdade eles servem a interesse de empresários e fazendeiros que tem uma única missão: Enriquecesse a custa de todos, ter carros e roupas exclusivas, freqüentar clubes exclusivos e principalmente achincalhar os menos favorecidos.

A culpa vem de nós eleitores que votamos nesta turma, como naquela idéia de dividir o Para em mais dois estados, o argumento de quem morava na região de Tapajós e Carajás é que o governo central de Belém não lhe davam atenção.

Oras, mas quem elegeu o governador, senadores e deputados do Para? Será que os prefeitos e vereadores das cidades dessas regiões foram eleitos por eleitores de outras cidades?

Então mais do que ter uma idéia simplista de separação de estados, deveria haver um plano nacional de desenvolvimento das diversas regiões de nosso país, para que todas elas sejam no mínimo auto-sustentáveis.

Por exemplo: Na região do sertão nordestino, por que não criar regiões turísticas com cassinos, parques temáticos (Poderia se criar o Parque dos Dinossauros no sul do Piauí), hotéis, restaurantes, festivais musicais das mais diversos gostos e aeroporto, conseqüentemente a educação e a prosperidade chegariam a essa região, trazendo empregos e pessoas mais qualificadas e assim não dependeriam de bolsas-familias.

Aqui em São Paulo nas regiões periféricas poderia se aproveitar o potencial da juventude e fazer um programa revolucionário na educação que iria do pré até faculdade para a formação de médicos, engenheiros e tecnólogos.

Estes médicos cuidariam dessa própria população, afinal de contas nasceram ali e conhecem todos os meandros daquela região, em paralelo, estes engenheiros construiriam estradas, escolas, bibliotecas, centros esportivos e hospitais, dando oportunidade a musicistas, esportistas, cineastas e atores, além de mover toda uma máquina de cultura.

Os tecnólogos trabalhariam nas coisas mais praticas do dia-a-dia desenvolvendo robôs para as empresas de reciclagens e tecnologia para as grandes fábricas e porque não abrindo novos nichos de mercados de tecnologia, tal como desenvolver satélites, televisores, pen-drives e etc e vou mais além poderiam desenvolver armas para os militares.

Aqui são algumas ideias perfeitamente possível de serem aplicadas nessas duas regiões do país, pois dinheiro é o que não falta, como expliquei anteriormente o que falta são projetos de desenvolvimento e os políticos não poderiam estar pensando em coisas pessoais, mas sim neste projeto, enquanto não mudarmos nossa atitude em relação ao voto e não cobrarmos o plano nacional de desenvolvimento, o que vamos receber é isso:

 
BlogBlogs.Com.Br diHITT - Notícias