Recados e Novidades

Meu facebook:
http://www.facebook.com/?ref=tn_tnmn

Para troca de livros:

Projeto Palavras Cruzadas:

"Já é vender a alma não saber contentá-la." Albert Camus - O Mito de Sísifo.

O projeto 'Palavras Cruzadas' promove encontros mensais (segundo sábado de cada mês) em que são lidos e discutidos trechos de obras importantes da literatura e filosofia surgidas à partir do século XX.

No encontro do dia 13/07 o livro utilizado será 'O Mito de Sísifo' de Albert Camus.

O evento começa às 15h30min.

A coordenação é de Vanessa Molnar, historiadora (USP) e escritora e Fábio Donaire, estudante do Bacharelado em Ciências e Humanidades (UFABC). Estamos localizados na Rua Professor José Franco, 166 – Bangu (a 10min da UFABC de Santo André, na rua do restaurante Frangasso).

A entrada é franca.


sábado, 30 de julho de 2011

O Ceifador


                A noite inundava toda aquela região, deixando os corações apreensivos com medo do Ceifador, goles e mais goles de vinhos para se aquecer e um analgésico contra o terror que poderia se abater a qualquer instante. 
                Pirilampos e sacis desfilavam entre os cogumelos, aguardando a chegada do Ceifador, uma musica interior tocava na mente daqueles tolos homens.
                Uma tempestade se aproximava e estrondos cobriam todo vale cobertos de sombras que se iluminavam pelos infinitos raios, os espectros dançavam ao farfalhar das folhas de copas grandes, abrindo caminho para o Ceifador.

                Um raio atingiu uma moita seca que se inflamou e os primitivos homens se aproximaram tentando decifrar aquele mistério, sem muita demora, eles perceberam que se mantivessem aquela fogueira acessa poderiam manter o Ceifador longe de suas vidas.
                E assim o homem começou a enfrentar o Ceifador da Noite, apesar de que sempre o monstro tenta nos assustar, mesmo nestes dias da eletricidade encanada.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

O caso morel


Escrito em 1974 por Rubens Fonseca, conta a história do fotografo Paul Morel que se envolve num assassinato, a história é regada a sexo, desvelando a podre sociedade carioca da época, se bem que não é muito diferente de hoje.

Paul Morel começa na prisão, nós não sabemos o por quê, com o decorrer da história iremos descobrir, além de suas aventuras sexuais.

A história começa desconexa, quando você pensa que entendeu ela toma um rumo inesperado, tornando-se interessante conforme o suspense aumenta.

Não entrarei em detalhes, pois caso alguém queira ler, estragaria o suspense.

Não é de literatura fantástica, mas é um bom livro para se ler.

Nas livrarias o preço é em média de R$ 9,90. Precinho camarada!

sábado, 23 de julho de 2011

Spirit


                Não existe outra civilização, além da humana, pelo menos, era o que se comentava entre as varias colônias da via láctea nos quase cinqüenta mil anos que os pioneiros haviam deixado a Terra devido à alta radiação que se espalhou pelo planeta, devido ao terremoto que afundou as ilhas japonesas.

                Agora era à hora de visitar o antigo lar, os fanáticos religiosos apregoavam que nunca houve vida na Terra que tudo não passava de uma conspiração dos Iluminatis e que o dispêndio do dinheiro teria que ser em pró da propagação da religião única e verdadeira.

                Os políticos diziam que era mau uso dos impostos e que estes impostos de valores exorbitantes deveriam ser destinados as coisas básicas como saúde, educação e segurança, artigos raros nestes tempos de alta tecnologia, quem desejasse alguma dessas coisas teriam que pegar muito caro, enquanto isso os desvios dos impostos era feito a cara larga.

                Os filósofos havia perdidos seus livros e conseqüentemente toda a historia e perdidos nas suas jactâncias não conseguiam acrescentar nada a sociedade, apenas, palavras difíceis e sem nexos que não iluminava a mente medieval do homem moderno.

                Mas apesar de toda esta distopia, um pequeno grupo visionários decidem mandar uma nave para o sistema Solar, contra tudo e contra todos, partiram na nave Voyage, atravessando uma infinidade de parsecs, não era uma nave de recursos avançados, tanto que quando chegaram a orbita de Marte, os bravos viajantes não tiveram alternativas, senão descerem no planeta vermelho.

                Os aventureiros se depararam com um dilema: - Poderia ir para a Terra e ficarem lá ou Retornarem para o planeta-mãe.

                Na primeira alternativa poderia ser uma passagem para a morte, não havia como saber se a atmosfera terrestre havia se livrado da radiação e se voltassem não haveria mais oportunidade de fazerem mais uma expedição.

                Ainda a pensar, os bravos homens procuravam alternativas, um deles afastou do grupo e observava o céu rubro e a terra ferrugem do desolado planeta, mas uma coisa que refletia a fraca luz do Sol lhe chamou atenção.

                Era um painel solar, gritou para os companheiros que se aproximaram e com muito cuidado e desenterraram o curioso objeto:

                Um painel solar com rodas e uma pequena antena.

                Estava bastante enferrujado, mas após um tratamento anti-oxidante foi possível entender que era um robô que somente os terráqueos poderiam ter mandado, pois nunca havia sido comentado que em Marte houvesse vida e ali os visionários, antes de voltarem para o planeta-mãe, fizeram uma grande exploração e não acharam nenhum vestígio de alguma antiga civilização.

                O objeto ao chegar ao planeta-mãe foi alvo das mais diversas especulações, mas nenhum dos grupos que comandavam os homens deu o braço a torcer, diziam que era alguma sonda perdida , os religiosos no final de tudo obtiveram o robô e este se tornou o santo-graal  e gente de todo canto da galáxia vinha para adorar aquele inócuo objeto.

                Os religiosos ensinaram que aquele objeto era do Deus criador e que ele permitiu que os homens o encontrasse para lembrar de que devemos ser submissos as ordens religiosas.

                No fim o melhor era que tudo ficasse emergido na maior ignorância, e conforme se passou os meses o assunto foi sendo esquecido.

                Entrementes na Terra, a natureza havia se recuperado e a vida explodia com todo o seu fervores, cores e alegria.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

2061 - Uma Odisséia no Espaço III



A terceira parte de uma Odisséia Espacial, na verdade é o prelúdio para a o final da saga, mostra o que aconteceu com a Terra, após a transformação de Júpiter, mas o monólito continua envolto em mistérios.


A historia se concentra em dois locais; o primeiro é no cometa Halley e segundo é derradeiro é em Europa, onde os humanos estavam proibidos de explorar, e que seu gelo foi derretido, após a criação de Lúcifer (Júpiter transformado em estrela)

Após uma tentativa de seqüestro, uma das naves acaba caindo no satélite jupteriano e eles aproveitam a estadia para explorar este mundo primitivo e seu suntuoso monte (Monte Zeus) maior que o Everest, uma enorme pedra de diamantes que trás uma intriga de exploração comercial, mas, além disso, há uma surpresa muito interessante.

O livro acaba em quase 1000 anos no futuro, quando Lúcifer se apaga e o monólito encontrado na lua, agora na frente da sede nas nações unidas, dá um sinal de vida, fechando a terceira parte e dando inicio a quarta e derradeira parte.

A saga é excelente e deve ser lida pelos fãs de ficção cientifica.

sábado, 16 de julho de 2011

Simulacron 3

Todos nós já tivemos a sensação de que somos uma espécie de pião, muitas vezes não conseguimos explicar porque tomamos certas atitudes.


Com o avanço da computação, hoje temos jogos de simulação muito próximo do real, tais como: Sims, Roller Coster, Civilization e etc.

Simulacrom 3 de David Galouye trata disso.

Um engenheiro num mundo futurístico, onde as instituições de pesquisas dominam o cenário, e ele está trabalhando num simulador de ambientes, onde existe um mundo no qual eles examinam as reações das unidades analógicas a determinadas situações.

Porém o financiador da obra tem outros objetivos para o simulador, tornasse presidente da nação, mas alguns fatos estranhos começa acontecer com o engenheiro, como sumiço de pessoas e coisas e o fez refletir:

Será que estou num mundo analógico, também?

A trama se desenvolve na busca da verdade o leitor a tirar n conclusões, porém as coisas muito rapidamente, saindo do óbvio, trazendo um deleite para a leitura.

Matrix se inspira nesta obra, mas são coisas diferentes.

Excelente Obra.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

O Destino


                Há dias em que a paz toma conta da gente, mas para tal é necessário desligar o piloto automático, se desligar da rotina desenfreada que a cidade de São Paulo causa no nosso coração.

                Para ouvir o silencio da noite é preciso estar nesta situação de paz interior, como tudo no universo é formado da mesma energia, ao contemplar o vasto universo, conseguimos ver as explosões das super novas, as emissões radiativos do mortal pulsar e podemos viajar para o passado ou futuro, seja lá o que eu isso for?

                Podemos até entrar em contato com o nosso eu, nalgum universo paralelo e entender qual o objetivo da nossa vida, certamente é diferente de todo hipocrisia religiosa, filosófica e política, talvez seja tão simples e óbvio que se torna invisível para nossos sentidos.

                O inevitável é que não fugiremos de nosso destino e pra qualquer lugar que caminhemos será para a verdade absoluta, criada pelo Criador que não têm os pensamentos iguais ao do homem.

sábado, 9 de julho de 2011

Os oceanos de Vênus


Este livro eu já li há algum tempo, tratasse de uma novela do genioso Isaac Asimov, onde o herói Lucky Starr e seu amigo marciano são convidados a investigar uma situação estanha em Vênus.


Vale lembrar que nesta época, alguns cientistas achavam que Venus era coberto por um enorme oceano, depois uma sonda americana comprovou que na verdade Venus é um planeta inóspito, seco e sem vida.

Os governantes estavam sob efeito mental, mas de quem será?

Para saber você deve ler o livro! Kkkkkkk!

Boa leitura para quem gosta, garanto pra você que é surpreendente.

A Editora Aleph reeditou vários titulos do Asimov, mas os preços são mais altos que a distancia da Terra e Vênus, sugiro comprar num sebo, eu paguei R$ 9,00 no sebo do mesias. http://www.sebodomessias.com.br/

quarta-feira, 6 de julho de 2011

A Solidão do Espaço


                 A vastidão do sistema solar é tão grande que é comparável com a inquietante solidão do ser humano, naqueles dias ao redor do sistema jupteriano, onde as mensagens levam em torno de seis horas para irem e mais seis horas para voltar, é onde Major Soares se encontra.

                Quando adolescente havia lido muito os livros de Arthur Clarke e olhando pela pequena e redonda janela, esperava encontrar o monólito negro, mas apenas o silencio absurdo do cosmo é que se “via”.

                A ultima mensagem foi enigmática, ele teria que sair da nave para ajustar a antena de comunicação que por qualquer motivo havia se deslocado, causando uma grande interferência nas comunicações.

                Soares tomou todos os procedimentos de segurança e caminhava na gravidade zero, subitamente olhou na direção do grande planeta vermelho, onde Gaminedes e Europa passeavam lentamente, ficou a pensar nos seus cinco anos, não havia memórias apenas flashes, tentou retroceder mais na suas primeiras idades, mas nada vinha, a não a ser a face dos pais, felizes com o bebe.

                Naquele silencio espacial, lembrou-se que estava no útero da mamãe, sons de água e estática eram a tônica daquele ambiente de paz e proteção, forçou mais a memória e viu uma luz brilhante que formava um túnel ao som de uma musica celestial.

                O que será que havia antes do túnel?

                Seu devaneio foi quebrado por uma mensagem vinda da Terra, acelerando seu coração, devido ao susto, algum técnico o lembrava para consertar a antena e tinha lhe dado ordem para retornar para a casa e assim ele procedeu.

                Já dentro da nave Major Soares havia percebido que o universo era mais generoso que a maior imbecilidade que qualquer ser humano houvesse escorrido, seja ela, filosofia, religião ou sistema político e assim voltou para Terra com a certeza que apenas estava começando a sua grande viagem.

sábado, 2 de julho de 2011

1984


Há algumas coisas na vida que são tão obvias, mas você consegue achar uma lógica para aquilo que está se mostrando estranha a sua frente, darei um exemplo:

Os EUA bombardearam o Japão com duas bombas atômicas, depois os americanos ajudaram os japoneses a se reconstruírem e assim o Japão tornou-se um dos maiores aliados dos EUA, principalmente para se proteger da China, onde o Japão cometeu atrocidades equivalentes as dos nazistas.

No livro 1984 de George Orwell isto se chama “duplipensar”, isto é, você consegue fazer com que a mente acredite naquilo que os poderosos querem que você pense.

“O Japão nunca esteve em guerra com os americanos e sim contra os chineses”

Lógico que no livro a situação é levada a maiores extremos, 1984 geralmente encabeça as listas de melhores livros de ficção cientifica, quando não está no topo.

O livro é ácido, mostra toda a verdade que rodeia o nosso mundo, o amor ao poder, o controle mental, a repreensão e inevitavelmente os poderosos levam as massas exatamente onde eles querem.

O engodo da revolução francesa, o engodo do processo democrático, quem ler este livro, certamente saíra com outra visão do mundo.

No meio deste controle do partido, Winston, começa a questionar o grande irmão e uma serie de sabotagens, desobediências e traições e onde rola a historia e o final é extremamente realista.

Uma obra perfeita que você não deve deixar de ler, compre-a num sebo ou baixe uma copia eletrônica.

Até a próxima.
 
BlogBlogs.Com.Br diHITT - Notícias