Recados e Novidades

Meu facebook:
http://www.facebook.com/?ref=tn_tnmn

Para troca de livros:

Projeto Palavras Cruzadas:

"Já é vender a alma não saber contentá-la." Albert Camus - O Mito de Sísifo.

O projeto 'Palavras Cruzadas' promove encontros mensais (segundo sábado de cada mês) em que são lidos e discutidos trechos de obras importantes da literatura e filosofia surgidas à partir do século XX.

No encontro do dia 13/07 o livro utilizado será 'O Mito de Sísifo' de Albert Camus.

O evento começa às 15h30min.

A coordenação é de Vanessa Molnar, historiadora (USP) e escritora e Fábio Donaire, estudante do Bacharelado em Ciências e Humanidades (UFABC). Estamos localizados na Rua Professor José Franco, 166 – Bangu (a 10min da UFABC de Santo André, na rua do restaurante Frangasso).

A entrada é franca.


sábado, 26 de fevereiro de 2011

O Bueiro Maldito



Ricardinho como sempre na sexta-feira a noite curtia seu vazio numa festa eletrônica qualquer.

Olhou para uma menina e seu coração explodia de paixão, ele estava movido a doce e a bala, aproximou-se da garota e disse palavras desconectas.

Geralmente a receptora de suas palavras era do mesmo naipe que ele, mas desta vez a garota estava limpa e não lhe deu importância.

Aquilo lhe abalou exageradamente, já estava tarde, voltou para a casa a pé, chutando as latas de cerveja vazias.

Após estar certa distancia da boate, encontra um bueiro entreaberto e pensou: “Que perigo!”, sem saber bem o porquê, resolveu tampá-lo com intuito de que ninguém caísse no buraco, ao tocar a tampa ouviu uma voz em falsete:

- Hei Cuidado!

Ricardo se assustou, olhou para todos os lados, mas apenas a rua deserta que se apresentava, tomando coragem perguntou:

- Quem está ai?

- Sou eu! – Uma voz de dentro do bueiro respondeu prontamente.

- Você caiu ai dentro? – Perguntou preocupado. – Espera um pouco vou chamar ajuda.

- Não precisa, não há ninguém aqui dentro, sou eu “o bueiro” que está falando com você.

Ele chacoalhou a cabeça e pensou: “Vou parar de usar drogas” e o bueiro continuou a falar:

-Você não está louco, eu sou real! Posso lhe conceder qualquer desejo, desde que me ajude.

-E por que eu sou o escolhido para receber esta benção?

-Simples... Você foi o primeiro que passou aqui, então vai aceitar minha proposta ou não?

-Aceito. – Respondeu Ricardinho prontamente. – O que devo fazer?

-Você primeiro faz um pedido, depois entre no bueiro e feche a tampa por um minuto, nisso eu serei liberto e você poderá sair e seu desejo será realizado. Faça seu pedido agora...

-Ok! Eu quero transar com a garota que conheci na festa agora a pouco.

Ele pegou a tampa e desceu vagarosamente e fechou o bueiro, nisso um brilho ouro rodando ao sabor do vento se formou sobre o bueiro e uma figura demoníaca surgiu.

O demônio pôs a mão no rosto, tomando o formato de Ricardinho, sorriu cinicamente afastando lentamente do bueiro, tomando a direção da boate.

Chegando ele foi diretamente para a garota que Ricardinho desejava, conversou não muito com ela e logo eles saíram indo para um motel, onde transaram o resto da noite.

Neste ínterim, Ricardinho gritava:

-Hei me tire daqui...

Conforme ia passando o tempo ele sentia uma claustrofobia, o ambiente começava a se fechar e a espremê-lo, até que certo momento ele tinha se fundido com a tampa do bueiro e seus gritos não se faziam mais ouvir.

O suor descia de sua testa, não conseguia se mexer e ficou naquele estado catatônico durante horas, na madrugada seguinte o demônio voltou e disse:

-Amigo está na hora da sua recompensa...

-Hummm... Hummmm... – Ricardinho não conseguia responder, mas seus pensamentos eram de socorro.

- Ah tadinho! Não consegue falar. – Zombava o demônio que estava com uma picareta na mão. – Não se preocupe vou acabar com seu sofrimento.

Ele começou a destruir a tampa do bueiro até que sobraram apenas pequenas pedras, Ricardinho sentia cada pontada da picareta e muitíssima dor e a escuridão tomou conta do seu ser, por certa ótica até foi melhor, pois foi um alivio para seu sofrimento.

Não era o fim, ele acordou amarrado numa rocha em pleno inferno, o demônio que ele havia libertado estava lá e lhe disse:

-Obrigado por me libertar, agora você viverá aqui para todo o sempre... – E deu uma risada macabra, Ricardinho por toda eternidade gritava:

-Ahhhhh! Socorro...

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Electric Light Orchestra


Retomando as atividades sobre musica, muito tempo atrás havia feito uma reportagem de cinco partes do David Bowie (leia aqui).

Electric Light Orchestra ou simplesmente ELO é uma banda de rock progressivo dos anos 70 com um som futurístico.

As musicas mais conhecidas são Living Livin' Thing e Confusion, é composta de vários musicos utilizando-se de uma infinidade de instrumentos de violinos, violoncelos a guitarras overdriver.

Saudades dos LP, onde a arte das capas era um show a parte, as do Elo era sempre com algum tema de ficção cientifica.

Para quem gosta de curtir algo diferente ai está a minha dica.

sábado, 19 de fevereiro de 2011

O Breviário

Os sicários invadiram a capelinha durante o breu da madrugada, caminharam até o genuflexório que continha um vetusto breviário amarrado numa corrente junto à parede.

Cortaram a grade e roubaram o breviário de capa preta sem detalhes ou escritas, ao voltarem para a rua, às sirenes dos policiais os assustaram e na louca fuga, deixaram cair o hermético livro e fugiram sem deixar rastro.

O dia amanhece e um grupo de garotos estava indo para a escola e Jorgito granjeou o misterioso livro que tinha uma pecha na ponta inferior da capa, devida a queda da noite anterior.


Não comentou com ninguém o seu presente e uma vez mais o breu ébrio caí na interiorana cidade, o menino foi para o terreiro do fundo de sua casa e abriu o inacessível livro.

Das paginas em branco surgiu um brilho estelar pujante, formado uma fada que adejou a sua volta numa beleza esmera e hipnotizante.

O menino falava pernosticamente, pois lia muitos livros de Harry Potter, mas a fada com o dedo em riste lhe pedia silencio e pediu angelicalmente que a seguisse.

No fundo do terreiro havia uma enorme mangueira. A fada lhe pediu uma manga, e inocentemente o menino se pôs a subir pelo enorme tronco da arvore.

Subitamente a felicidade transformou-se num terror consumidor, pois da arvore surgiram braços de pontas aduncadas que agarraram o menino lanhando-lhe as costas e criando escaras úmidas e doloridas.

O grito fez-se ouvir por toda a adjacência e algumas pessoas correram para acudir, chegando ao local, encontraram apenas o corpo cindido de Jorgito com seu sangue quente tingindo as raízes da mangueira.

Todos começaram a correr para encontrar o responsável e nem deram importância ao breviário que ficou jogado num canto qualquer, nem mesmo o padre responsável pela capela se lembrava do breviário.

A policia investigou o caso, mas não obteve sucesso, cuidavam que havia sido os sicários que haviam assaltado a capela que cometeram tal barbaridade.

E está fatalidade caiu no esquecimento, enquanto isso o breviário está perdido nalguma localidade que pode ser em qualquer parte do mundo, silenciosamente esperando o próximo o curioso.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

A Hospedeira


Vocês sabem o que é papagaio de internet?


Pra quem não sabe; é aquela pessoa que lê qualquer coisa na Internet e saí repetindo sem conferir se aquela noticia é justificável.

Sem contar o povo que é modinha.

Por isso que eu não ando mais fazendo comentários daquilo que eu não vi ou li, quando comprei o livro “A Batalha do Apocalipse” me surpreendi pelo lado positivo, depois comprei o livro “A Hospedeira” e terminei de ler e agora eu posso dizer sem medo de ser feliz:

O livrozinho!

Não é que ele seja de todo ruim, os escritores modernos trabalham muito mais o seu marketing pessoal do que a escrita do que uma boa historia, na verdade eles fazem roteiros de cinema.

Este livro tem cópias descaradas de Arthur Clarke (A Cidade e as Estrelas), do seriado Stargate e até trechos de músicas do Led Zeppellin (“Meu espírito implora para ir para o oeste – Stairway to Heaven).

E a autora força uma situação poética/filosóficas, tentando escrever prosas poéticas que desviam da ação do livro, tornando-o um verdadeiro “embromation”.

Este livro poderia ter ficado melhor com 300 páginas do que com 600 páginas.

Por que Meyer é blockbuster? Eu não sei, talvez as pessoas que compram estes livros leiam pouco (1 livro por ano), conheço muita gente assim.

E tenho certeza que critico literário não leem livros, no máxima uma resenha e ela aproveitou bem seu marketing pessoal.

O final do livro até que se torna empolgante, mas deixa muitas coisas em aberto, é tanto “embormation” que muitas subtramas não se fecham.

Um livro apenas regular e tenho que concordar com quem diz que este livro não diz nada.

Se você não leu não perdeu nada.

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Escaramuça Andreense


Certo dia de calor infernal em Santo André, eu procurava desesperadamente, um lugar para aplacar meu tórrido corpo. Fui até o terreno do fundo de minha casa, onde passa os dutos de óleo, lá existe uma arvores de cepas aparentes e protuberâncias em forma de cama, onde eu poderia me deliciar com a sombra de sua enorme copa.

Caí numa modorra gostosa, quando subitamente ouvi um silvo no céu, esfreguei meus olhos, cuidando que eu estava tendo uma alucinação por causa do Sol forte, mas não era.

Duas espaçonaves se atacavam, sendo uma prateada e outra negra. A nave negra albaroou a prateada, causando-lhe uma avaria e forçando-a a pousar, justamente no terreno onde eu estava, entretanto, a nave negra estava recalcitra em seu ataque e num ziguezague estonteante se desmaterializou.

A nave prateada fez o pouso forçado e estava arrefecendo, quando um homem de baixa estatura, queijo pontudo e de aspecto pertuso, fala de forma plangente:

-Desgraçado! Esta felonia terá desforra!

Percebendo que a situação não era periclitante, me aproximei e saudei para o tão súbito visitante que gentilmente retribuiu meu cumprimente, lhe ofereci água, no qual ele sorveu com muito gosto e me disse:

- Obrigado, nativo!

- Quem é você?

- Sou Roberto Ignácio, sargento do exercito brasileiro. – Respondeu com empáfia.

-Desculpe. – Comecei a dar risadas.

- Do que está rindo?

- Pensei que fosse um alienígena, vi duas naves ogivais no céu...

- Bah... – O sargento me interrompeu. – Era apenas um exercício militar, temos dois grupos no qual estamos competindo. – Explicou o sargento peremptoriamente.

Mal o sargento terminara de falar, vários veículos do exercito surgiram, recolhendo a nave prateada, não me deram mais nenhuma explicação e me largaram lá como se eu não existisse.

Nem comentei com ninguém, afinal, quem acreditaria na minha história? O que eu concluo é:

“As forças armadas brasileiras têm segredos, além da nossa vã filosofia!”

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

A Cidade e as Estrelas



Este livro eu comprei num sebo e li em dois dias, aliás, Arthur Clarke faz parte da tríade da ficção científica (Clarke, Asimov e Bradbury).

A história se passa, após uma hecatombe nuclear, fazendo com que os homens vivam debaixo da terra e passado mais de 1000 anos, eles criaram uma sociedade utópica e regida por alta tecnologia, principalmente para manter a cidade no subsolo, o passado ficou registrado nos hololivros.

Um destes homens, relendo a história, tem uma vontade incontrolável de retomar as viagens espaciais, mas era expressamente proibido voltar para a superfície (era o medo da radiação), quem dirá viajar para as estrelas.

Contra tudo e contra todos, ele volta à superfície, ele descobre que a proibição de voltar à superfície era uma grande conspiração.

Já na superfície, ele descobre uma cidade e depois descobre uma espaçonave na qual ele começa a viajar pelas estrelas.

Muito suspense e uma vontade incontrolável de avançar na história, só mesmo um gênio como Clarke poderia escrever uma obra desta.

Não sei se estão comercializando, mas é fácil de achar nos sebos e é fácil de achar downloads.

Leitura prá lá de recomendada.

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Mistura e Manda


No Sesc Santo André no mês de Fevereiro está acontecendo um festival de chorinho e o blog "Absurdo Fantástico" dá apoio a todo tipo de cultura, principalmente para dar um fim aos funks, pagodes e axés.

Eu assisti a apresentação do Mistura e Manda e fiquei contente de descobrir o chorinho, um ritmo tipicamente brasileiro e descobri o talento fenomenal de Pixiguinha, Altamir Carrilho e outros.

Dia 18 as 20:00h haverá mais uma apresentação com outro artista, eu estarei lá pra conferir, quem mora aqui próximo estão convidados e nem adianta falar que não tem dinheiro, pois o evento é gratuito.

Abaixo há o myspace do Mistura e Manda para vocês conhecerem. Até a próxima

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Memórias Psicopatas



Numa certa noite chuvosa, eu estava em casa assistindo televisão, quando a campainha tocou, levantei-me com dores nos artelhos, devido a ultima partida de futebol.

Era uma moça linda, delgada de pele macia e de olhos ígneos, disse que o carro havia quebrado e o celular estava sem linha, pediu se podia fazer um telefonema.

Convidei para entrar, enquanto ela tentava o telefonema, fui para a cozinha besuntar uma grande assadeira ogival na qual eu iria assar um leitão.

A moça de microvestido se sentou na cadeira mostrando generosamente suas coxas torneadas e uma voz me concitou a aproximar-se dela e sem aviso prévio lhe cravei o machado de cortar carne em seu pescoço e a moça feneceu rapidamente, a arrastei para a cozinha, onde a extirpei em vários pedaços.

Fiz tudo proficuamente deixei a linfa correr para enquistar sua coxa e o resto guardei no freezer e passei a comê-la em vezeiro nestes últimos seis meses.

Precisava desabafar com alguém... Ah você quer dar um telefonema?

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

A Batalha do Apocalipse


Eu não sou de modinha, mas tenho que reconhecer o sucesso desta obra, sob dois aspectos:

1º)
Eduardo Sohpr escreveu este livro e começou a comercializá-lo num certo site de nerds, vendendo a sensacional marca de 4.500 livros e consequentemente fez um contrato com uma editora tradicional, até os ultimos numeros que eu tenho conhecimento, o livro havia atingido a marca de 15.000 unidades vendidas.

Isto demonstra que sim, é possivel, obter sucesso no mundo editorial, mesmo sendo um mero desconhecido.

2º)
O livro é sobre o anjo renegado Ablon, expulso por Miguel do paraíso e condenado a vagar pelo planeta terra, junto aos humanos, até o dia do juízo, quando Deus iria acordar.

Quando Deus dorme no inicio do 7º dia, deixa a encargo do Arcanjo Miguel a roda do tempo que marca o andamento do sétimo dia, além do livro da vida.

Miguel se torna um ditador, onde é travada uma guerra com Lucifer que ao perder vai para o inferno, antes disso Ablon fez uma revolta fracassada.

Ablon é perseguido pelos celestes e pelos demonios, conhece a feiticeira de Endor e faz um par romantico com ela, e torna-se testemunha de vários momentos marcantes da humanidade, tais como: A torre de Babel, A destruição de Sodoma e Gomorra, ele percorre a rota da seda.

O final não é obvio, não vou contar pra não estragar, caso você queira ler, entretanto, pra ser franco, não gostei muito do final, mas no geral a história está bem amarradinha e fica um gosto de quero mais.

Quanto a escrita, discordo do prefaciador que diz que Sophr tem um escrita igual a de Bradbury, longe disso, talvez no futuro o autor consiga chegar a este patamar, pois ele tem muito campo para evoluir.

Leitura recomendadissima.

O livra custa em média R$ 20,00 e tem quase 600 páginas (baratinho), então não vamos piratear, num é mesmo?

Até a próxima.
 
BlogBlogs.Com.Br diHITT - Notícias